Gestão híbrida: 5 melhores práticas para a gestão remota e presencial

Tempo de leitura: 4 min
Gestão híbrida: dicas de práticas

A gestão híbrida é um dos arranjos que fará parte do chamado “novo normal”. Esse modelo consiste no gerenciamento simultâneo de equipes remotas e presenciais, uma realidade que atinge cada vez mais empresas em todo o planeta. A pandemia de COVID-19, doença provocada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), fez com que uma forte tendência — que prometia levar décadas para se concretizar — fosse implementada de forma generalizada em poucos meses: o home office.

Newsletter da Vee: assine gratuitamente e receba conteúdos que ajudam o seu RH a ser cada vez mais estratégico.

Embora muitas organizações tenham enfrentado dificuldades para implementar e gerir o trabalho remoto, o experimento inesperado acabou gerando resultados muito positivos para outras. Segundo levantamento recente da Gartner, 82% dos líderes empresariais pretendem manter seus funcionários em jornadas mistas (remota e presencial) e 47% dizem que tornarão o home office permanente.

Diante dessa transformação dos modelos de trabalho, porém, como os gestores poderão conduzir com eficácia equipes remotas e presenciais? Para ajudar, reunimos algumas práticas essenciais para desenvolver uma gestão híbrida de sucesso. Confira.

E-book RH Estratégico

1. Mantenha a saúde em primeiro lugar

O trabalho, o crescimento e a lucratividade são essenciais para a sobrevivência de qualquer negócio. Entretanto, diante de uma crise sanitária de tamanhas proporções, a saúde torne-se a maior prioridade da população e a expectativa das pessoas é que as empresas não meçam esforços para garantir a segurança de todos.

A retomada das atividades presenciais precisa ser feita com cautela, respeitando as medidas de restrição social e as orientações das autoridades de saúde. Lembre-se que, além de fornecer toda a infraestrutura de sanitização ― distribuição de álcool gel, ambientes arejados, distanciamento entre colaboradores etc.―, as pessoas precisam se sentir seguras no ambiente de trabalho.

Promover uma comunicação clara sobre a situação e realizar treinamentos são iniciativas muito úteis para garantir que todos façam a sua parte e contribuam para um clima organizacional harmônico e produtivo.

Ainda em relação à saúde, também devemos considerar os aspectos emocionais de cada colaborador, o que envolve aqueles que permanecerão atuando de forma remota. Mais do que nunca, os gestores precisarão adotar posturas flexíveis e oferecer todo o apoio psicológico necessário à sua equipe.

2. Aperfeiçoe a rotina e a comunicação

A comunicação é o eixo central da gestão de pessoas e pode afetar diretamente a produtividade e o clima organizacional. Ao gerenciar equipes presenciais e remotas, o gestor precisa adotar estratégias que permitam a integração dos dois times.

É também recomendável estabelecer um equilíbrio nessas atividades. Poucas reuniões podem fazer com que os colaboradores se sintam afastados. Por outro lado, reuniões demais podem causar estresse e reduzir a produtividade.

As rotinas também precisam ser bem definidas com os devidos esclarecimentos sobre cronogramas, horários, hora extra e apresentação de resultados. Os profissionais que atuam remotamente, por exemplo, não podem ser obrigados a responder e-mails, fazer chamadas ou concluir tarefas fora do horário de trabalho previamente acordado.

3. Defina parâmetros, indicadores e políticas coerentes

Especialmente as empresas que estão dando seus primeiros passos na disponibilização e manutenção de cargos remotos, é fundamental definir parâmetros de avaliação, indicadores de resultado e políticas corporativas que contemplem essa nova realidade.

Embora em muitas empresas as atividades práticas sejam totalmente desempenhadas em plataformas digitais, a rotina presencial é muito diferente do home office. Cada uma delas tem seus pontos positivos e negativos e, por isso, ao conduzir uma gestão híbrida, um dos maiores desafios do gestor é impedir que os colaboradores sintam que estão sendo tratados de maneira diferente.

Funcionários da equipe presencial podem pensar que estão sendo mais cobrados e representantes do time remoto podem se sentir menos envolvidos com as atividades do negócio, por exemplo. Todos esses fatores precisam ser levados em consideração para que o gestor seja capaz de conduzir uma comunicação coerente com ambos.

Outro ponto que merece atenção são os benefícios flexíveis que, sobretudo nesse contexto, são fundamentais para atender as necessidades particulares de cada colaborador. Se a sua empresa ainda não conta com um programa dessa categoria, talvez seja o momento de procurar algum.

4. Evite o microgerenciamento

As lideranças são extremamente importantes para orientar o trabalho da empresa e garantir a harmonia do ambiente de trabalho, offline e online. No home office, porém, a função do líder é ainda mais marcante, pois ele se apresenta como o elo entre o colaborador e a empresa que, nesse modelo, se relacionam à distância.

No entanto, o fato de não poder acompanhar visualmente o profissional executando o seu trabalho pode fazer com que o líder tente monitorá-lo de maneira exagerada, algo que se reflete em contatos insistentes e cobranças constantes.

Esse comportamento é chamado de microgerenciamento e é dos maiores causadores de estresse, revolta e desmotivação dentro das empresas. É natural que os colaboradores tenham alguns problemas durante esse período de adaptações e a liderança deve ter empatia em relação a isso. Mantenha, portanto, uma comunicação aberta e confie no talento da sua equipe.

5. Invista em uma infraestrutura de trabalho integrada

Ainda que estejam em locais diferentes, as pessoas podem trabalhar juntas e compartilhar experiências por meio das plataformas digitais. Nesse tópico, entramos na tecnologia adotada pelas organizações, recursos que também contribuem para a qualidade de uma gestão híbrida.

Há alguns anos, a criação, implementação e manutenção de softwares empresariais era algo muito complexo que, quase sempre, demandava generosos investimentos. Hoje, por outro lado, o mercado oferece as mais diversas soluções para todos os tipos de necessidade por valores muito mais acessíveis.

As mais modernas plataformas SaaS (Software as a Service, ou software como serviço) funcionam por meio de sistemas de computação em nuvem, o que as confere um ótimo desempenho e permite que os serviços da sua empresa sejam acessados por qualquer dispositivo.

De gerenciadores de projetos a centrais completas de gestão, monitoramento e finanças, o seu negócio tem muito a ganhar ao apostar nesse tipo de tecnologia, seja contratando planos em plataformas terceirizadas, seja desenvolvendo um projeto exclusivo.

Todas essas práticas têm muito a agregar ao trabalho do gestor, que deve atuar em parceria com todas as equipes. Entretanto, é preciso destacar que a gestão híbrida é uma novidade para a maioria das empresas, o que significa que será preciso testar coisas novas, refinar estratégias e acompanhar de perto os impactos de cada ação na satisfação dos colaboradores.

Gostou do artigo? Então continue aprendendo conosco e saiba agora como desenvolver a cultura e a liderança na sua empresa.



Gostou? Compartilhe

Quer conhecer mais sobre os benefícios flexíveis da Vee? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.