8 lições que podemos aprender sobre home office e gestão remota China

Tempo de leitura: 5 min
8 lições da China sobre Home Office e Gestão Remota

Estamos vivendo um período em que todos precisam se adaptar e se reinventar neste novo cenário de quarentena e distanciamento físico . A posição dos líderes de uma empresa nesse momento é de extrema importância, e o RH como líder deve ter um grande protagonismo neste momento de grandes incertezas. Diversas empresas  estão aprendendo a lidar com essa situação e a encontrar, de forma rápida, uma tomada de decisão baseada em dados. Esse desafio pode ter impacto muito positivo para o seu negócio a curto e a longo prazo. Além disso, novas políticas de trabalho, como a gestão remota, poderão ser repensadas.

Segundo pesquisa realizada com profissionais de RH de 359 empresas brasileiras pela consultoria Betania Tanure Associados (BTA), durante a segunda quinzena do mês de março de 2020, quase metade delas havia adotado o Home Office como prática de segurança devido ao COVID-19. Quando questionadas sobre os maiores desafios que essa mudança causou, os principais pontos apontados foram: 

  • A adaptação das atividades presenciais para virtuais;
  • Perfil dos colaboradores para enfrentar os desafios do cenário atual;
  • O gerenciamento remoto de pessoas. 

O último desafio é um cenário novo para muitos. A velocidade com que o COVID-19 obrigou o mundo a ficar em quarentena e a trabalhar de casa fez com que muitos RHs tivessem que se virar ou descobrir, sem nenhuma preparação ou apoio prévio, como gerenciar seus colaboradores e a empresa à distância. 

Em um artigo super recente, divulgado em março de 2020, a McKinsey reuniu algumas lições sobre o trabalho remoto oferecidas por uma das maiores potências econômicas do mundo, a China, durante a crise que as empresas enfrentaram durante a explosão de casos do COVID-19 no país, no começo deste ano.

8 lições da China para empresas fazerem a gestão remota de equipes

Veja só: 

Estrutura

Trabalhar à distância pode gerar muitas incertezas sobre as atividades, prazos e demandas dos colaboradores. Equipes multifuncionais geram muito mais produtividade ao seu negócio, além de fortalecerem uma integração. Por isso, você pode observar o panorama geral das áreas da sua empresa e dividi-las em grupos menores. É importante que as suas expectativas estejam alinhadas de forma clara para todo o seu time.

Aqui vai outra dica: um objetivo em comum para todos pode ter um grande efeito positivo para que todos os colaboradores estejam focados na mesma estratégia.

Guia de gestão de benefícios para empresas

Papel do líder

Essa pode ser uma das maiores dificuldades no trabalho remoto, porque cada um de nossos colaboradores é único e pode enfrentar diferentes adaptações ao novo modelo. Nesse momento, transparência, comunicação e energia devem ser o foco do líder. Ele vai servir de inspiração e exemplo aos outros, portanto também é importante que sua imagem se faça presente em todos os canais.

Coletividade

Lembrar que, além do trabalho, nossas equipes também têm suas vidas pessoais e podem estar passando por problemas e dificuldades. É importante que os colaboradores se sintam amparados. Dar a atenção necessária para cada um individualmente e manter a equipe integrada pode ser um grande conforto nesses momentos.

Nova rotina

Mudar o local de trabalho pode gerar uma desorganização a princípio, já que o ritmo é outro. Por isso, estabeleça reuniões, planejamentos e um alinhamento das demandas de forma clara a todos.

Comunicação

É essencial para gerar produtividade. Conhecer ferramentas que funcionem bem para o seu negócio é importante, pois cada ambiente pode atuar melhor de diferentes formas. Essas plataformas não devem servir de empecilho para as atividades de seus colaboradores, interrompendo linhas de raciocínio ou entregas, mas sim ajudar na comunicação e desempenho das atividades esperadas. Estabeleça com a sua equipe qual será o canal que vocês irão utilizar para melhor eficácia e um contato mais próximo.

Tecnologia

A base para que o trabalho remoto funcione é ter uma conexão à internet eficaz. Além disso, as plataformas digitais que existem hoje podem ser grandes aliados para acompanhar o trabalho de cada um instantaneamente, além de poder descobrir novas formas de usufruir melhor da comunicação com todos internamente e até mesmo externamente. Mas lembre-se, mesmo que grandes tecnologias estejam sendo implementadas, devemos sempre confirmar se o básico está acessível e funcionando a todos.

Segurança 

As empresas confiam em suas redes autorizadas que promovem seguranças de seus dados. O trabalho remoto pode gerar uma preocupação nesse ponto, já que outras ferramentas podem acabar sendo utilizadas nas atividades de cada um. Por isso, deixe claro quais são os requisitos de segurança do seu negócio. Explique e treine sua equipe sobre quais medidas de precaução e pontos de atenção que eles devem ter. Você também pode investir em ferramentas seguras para implementar nos softwares.

Mudanças

Essa é a lição final. Devemos observar o nosso cenário não só como negócio, mas também como uma empresa que lida com seus colaboradores e atividades. Dessa maneira, e de forma coletiva, abrindo espaço para a sua equipe ajudar na visualização de desempenho geral da sua empresa, é possível reconhecer fatores que devem ser mudados e, assim, adaptá-los.

Apesar da visão pessimista das empresas que o estudo da BTA apresentou, em que não há muitas perspectivas de um futuro melhor a curto prazo, devemos focar no que está ao nosso alcance. Tentar pensar em como toda essa situação pode ajudar a sua empresa a permanecer mais estável no mercado e ainda mais forte. Crie metas, pense o que esse tempo pode fazer para que o seu negócio e os seus colaboradores empenhem-se para atingir mais resultados. 

Esse novo contexto em que as empresas se encontram está fazendo com que a cultura da gestão remota seja repensada e possa ser implementada, mesmo após essa crise.

Nem todos os colaboradores são iguais

O COO do Mercado Livre na América Latina, Stelleo Tolda, e a diretora de RH, Patrícia Monteiro, pontuam fatores que ajudam para que esse novo sistema funcione melhor para toda a equipe. A imagem do líder que prefere ainda seguir o modelo tradicional de não trabalhar em gestão remota faz com que outros também não se sintam à vontade em fazê-lo. Mas, quando encontram um ambiente que já executa essa linha de trabalho remoto e utiliza aspectos mais digitais, fica fácil dos colaboradores adaptarem-se ao mesmo.

É importante que o RH entenda  que existem diferentes perfis de colaboradores e talvez alguns acabem não se adaptando muito bem aos novos modelos de trabalho, o que pode gerar um impacto na produtividade. Por isso, é necessário estar atento para que exista um suporte e apoio em todos os níveis da empresa. 

Outro aspecto interessante sobre esse novo jeito de tocar o seu negócio (à distância) diz respeito às conexões exteriores que podem ser implementadas. Elas garantem diversidade e uma ampla rede de soluções que extrapola barreiras e restrições físicas, permitindo um contato maior não só com pessoas de outras regiões, mas também como de outros países, abrindo e expandindo mais as redes profissionais. Além disso, abre um novo olhar ao seu negócio, que começa a perceber outros mercados e pensar em diferentes maneiras de implementações às suas atividades. 

É o início de uma nova transformação muito benéfica para que empresas comecem a adotar cada vez mais a prática da gestão remota. Esta é uma grande oportunidade para o profissional de RH de ser o protagonista desta crise e levar  o nível de maturidade da gestão de pessoas da empresa a um novo patamar, ouvindo o colaborador e o comportamento coletivo para criar novas ferramentas de crescimento focado na estratégia de pessoas. 

Gostou? Compartilhe

Quer conhecer mais sobre os benefícios flexíveis da Vee? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.