Vale-cultura: vale a pena oferecer para os seus funcionários?

Tempo de leitura: 4 min

Em um mercado altamente competitivo, é importante manter os funcionários engajados. O nível de satisfação com o trabalho, por exemplo, está diretamente ligado à produtividade do indivíduo — e, nesse âmbito, benefícios corporativos que fogem do tradicional, tais como o vale-cultura, despontam como uma excelente estratégia

Atualmente, as políticas de RH precisam ser cada vez mais robustas e customizadas, atendendo aos anseios mais pessoais dos colaboradores. No intuito de atrair e reter talentos, é preciso pensar fora da caixa e oferecer incentivos diferenciados. 

Neste post, você entenderá um pouco mais sobre o vale-cultura. Primeiro, explicaremos o que é e como o benefício funciona para, em seguida, destacarmos as principais vantagens de oferecê-los à sua equipe. Além disso, compartilharemos dicas valiosas para que você possa incorporar o vale-cultura à carteira de benefícios de forma permanente — e com excelentes resultados! Preparado? Boa leitura!

Ebook benefícios flexíveis

O que é e como funciona o vale-cultura?

O vale-cultura é, como o próprio termo sugere, um benefício que qualquer empresa pode optar por oferecer aos funcionários. Via de regra, trata-se de um valor disponibilizado em um cartão que pode ser consumido nas mais diversas iniciativas culturais.

Imagine, por exemplo, que você comece a se interessar por guitarras e queira, de fato, mergulhar fundo no universo do instrumento. Com o vale-cultura, você poderá:

  • adquirir uma guitarra;
  • comprar CDs, DVDs e livros que o ajudem a entender a dinâmica do instrumento;
  • pagar a mensalidade das aulas de guitarra.

Na prática, não seria equivocado dizer que o vale-cultura é um mecanismo importante para incentivar paixões e, em última escala, para ajudar a desenvolver os profissionais por meio de ações que extrapolam a rotina corporativa. Aliás, o benefício também pode ser utilizado em espetáculos teatrais e na compra de ingressos de cinema, por exemplo, o que demonstra a versatilidade do apelo.

O objetivo é, portanto, um só: facilitar o acesso a atividades e estimular o contato com movimentos culturais. Por isso, não se engane, pois esse benefício pode, de fato, fazer toda a diferença nos resultados do seu negócio. Continue lendo para saber como!

Quais são as principais vantagens do vale-cultura?

Quando o assunto diz respeito aos benefícios corporativos — e aos impactos da estratégia nos resultados da empresa —, uma coisa é certa: os frutos positivos são imediatos e tornam-se ainda mais relevantes a cada mês. Com a disponibilização do vale-cultura, as duas partes envolvidas saem ganhando: o colaborador, que pode ter contato regular com uma série de movimentos artísticos e a empresa que passa a contar com um time mais motivado e criativo. Confira algumas das principais vantagens!

Ampliar o acesso à cultura

No dicionário, um dos significados da palavra ‘cultura’ remete ao “conjunto de conhecimentos adquiridos, como experiências e instrução, que levam ao desenvolvimento intelectual e ao aprimoramento espiritual”. Na prática, ao incentivar que os profissionais da sua empresa tenham maior (e mais recorrente) acesso a atividades culturais, você ajuda a construir um ambiente mais cooperativo e inovador.

Reter talentos

Os benefícios corporativos são indispensáveis às mais eficientes iniciativas de retenção de talentos. Estudos recentes apontam, inclusive, que a escolha de um emprego vai além do salário — e a qualidade dos recursos extras é um fator cada vez mais decisivo. Por isso, se a sua intenção é manter os bons profissionais por perto, lembre-se: fortaleça a sua carteira de benefícios!

Incentivar a criatividade

Cultura tem tudo a ver com criatividade — e, em um mercado altamente competitivo, a capacidade de pensar fora da caixa pode fazer toda a diferença nos resultados da companhia. Nesse contexto, o vale-cultura desponta como uma excelente alternativa para que a equipe esteja sempre com a mente fervilhando de novas ideias. Dos espetáculos de dança aos livros clássicos, tudo pode (e deve) servir de inspiração!

Alavancar a capacitação

Enganam-se aqueles que pensam que a cultura está separada da capacitação. A verdade, no entanto, é que as duas coisas estão intimamente ligadas. Pense, por exemplo, que um dos profissionais do PCP adquira um livro sobre a metodologia produtiva de uma fábrica japonesa. Ao estudar os métodos aplicados do outro lado do mundo, ele resolve implementar uma melhoria que reduz o desperdício pela metade. Nesse sentido, não seria equivocado dizer que o vale-cultura também contribui para potencializar a produtividade da equipe.

Reduzir a incidência tributária

Se, por um lado, o vale-cultura é um benefício valioso para o colaborador, por outro, a organização também obtém vantagens. Ao aderir, a empresa passa a se enquadrar na categoria de incentivo fiscal, eliminando encargos sociais e trabalhistas sobre o valor total repassado ao colaborador. Além disso, caso seja necessário, é possível descontar uma determinada porcentagem direto na folha de pagamento.

Como oferecer o vale-cultura aos colaboradores?

Para disponibilizar o benefício, a companhia precisa, antes de mais nada, apresentar situação regular na Receita Federal e no Ministério Público do Trabalho. O cadastro, realizado no site do Ministério da Cultura, é fácil e rápido: basta preencher o formulário por completo — fornecendo, por exemplo, o CNPJ, o endereço comercial e o número de colaboradores por faixa salarial — e aguardar a validação.

Depois disso, será necessário selecionar o método de repasse aos colaboradores. Nesse momento, é importante valorizar a simplicidade e a usabilidade da solução, adotando um recurso alinhado às preferências do público interno. 

Um cartão multibenefícios, por exemplo, é uma excelente alternativa: é prático e tem ampla aceitação no mercado. A Swile, especialista em benefícios, tem a opção perfeita para facilitar a utilização do vale-cultura, maximizando a satisfação dos colaboradores. São milhares de estabelecimentos cadastrados e um enorme horizonte de possibilidades — para você e para seus colaboradores. 

Se seu objetivo é formar um time mais criativo, produtivo e eficaz, aposte no vale-cultura. Além disso, lembre-se: o benefício não tem grandes impactos na carga tributária da sua empresa. Vale investir!

A essa altura, você provavelmente já está convencido de que precisa implantar o vale-cultura para ontem, certo? As suas percepções estão corretas: aproveite para entender como os benefícios flexíveis podem (e vão) impactar positivamente nas suas estratégias de employer experience.



Gostou? Compartilhe

Quer conhecer mais sobre os benefícios flexíveis da Vee? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.