Tendências RH 2021: o guia completo para sua empresa

Tempo de leitura: 6 min
Tendências RH 2021: o guia completo

O mercado de trabalho passou por diversas transformações durante 2020 e muitos profissionais se questionam: “quais serão as tendências de RH em 2021?”.

Diversas empresas foram pegas de surpresas com a pandemia do novo coronavírus e tiveram que adaptar a rotina de seus colaboradores rapidamente. O home office, por exemplo, é uma tendência definitiva ou apenas uma fase? Uma coisa é certa: a tecnologia e a flexibilidade vieram para ficar.

Ainda é uma dificuldade para muitas empresas gerenciarem adequadamente o que ela tem de mais valioso: seus colaboradores. Para isso, é preciso um trabalho eficaz entre o RH e a liderança. 

As tendências de RH 2021 apontam que as novas tecnologias e softwares vieram trazer mais facilidade para a relação e otimização do trabalho dos funcionários.  Quer saber mais o que nos aguarda para este? Confira a lista abaixo:

E-book RH Estratégico

1. Entenda quem são seus colaboradores e suas individualidades

É necessário saber lidar com os diferentes colaboradores presentes nas empresas e quais são as suas necessidades e prioridades. 

Por exemplo, as gerações mais jovens costumam priorizar o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional. Isso significa que tendem a valorizar a possibilidade de terem horários mais flexíveis e opções de trabalho remoto. São dados importantes para saber o que realmente gera valor para os colaboradores da sua empresa.

Ao aprender sobre os estilos de trabalho e valores de carreira dos funcionários, os gerentes e profissionais de RH podem criar políticas corporativas que os ajudarão a mantê-los engajados e felizes

2.  O bem-estar do funcionário é uma prioridade

Como parte do engajamento de seus colaboradores , o bem-estar dos funcionários continuará a ser uma das principais áreas em que os profissionais de RH.

Os funcionários de hoje estão mais estressados ​​do que nunca e é de extrema importância que as empresas pensem em programas que favoreçam a qualidade de vida dentro e fora do local de trabalho.

Oferecer benefícios flexíveis, como a Vee, pode aumentar muito mais a produtividade e qualidade de seu colaborador. Além de proporcionar flexibilidade em suas escolhas, ele pode ter acesso à plataforma de auxílio psicológico, algo de extrema importância, às melhores academias do país e a diversos outros auxílios.

Seguir esta tendência só reforça as descobertas da pesquisa do Global Wellness Institute: 65% das empresas estão aumentando os gastos com saúde mental e bem-estar para seus funcionários.

3. Benefícios modernos para aumentar a retenção

Uma pesquisa feita pelo Finances Online indica que mais de um terço das organizações nos Estados Unidos oferecem benefícios flexíveis em comparação com o ano anterior. As empresas têm ajustado seus pacotes de remuneração e benefícios para serem mais atraentes para o trabalhador moderno. 

Além de vantagens mais recentes, como licença-maternidade e horário flexível, muitas empresas agora oferecem benefícios que suportam uma variedade mais ampla de eventos críticos da vida. 

Sair da antiga dupla vale-refeição e vale-alimentação para dar mais liberdade de escolha para seus colaboradores já é uma realidade em nosso país e tende a se tornar cada vez mais forte.

E não existem somente benefícios relacionados à saúde. Plataformas como a NewValue podem oferecer descontos em roupas, estética e até mesmo viagens aos seus colaboradores.

Profissionais de RH e especialistas em recrutamento podem usar esses benefícios em seu favor para melhorar a retenção de funcionários. Uma oferta abrangente de benefícios também pode dar às empresas uma vantagem competitiva na contratação de novos talentos.

Ebook benefícios flexíveis

4. É necessário novas maneiras de envolver os funcionários

Muitas tendências e desafios atuais de Recursos Humanos envolvem o aumento do engajamento dos funcionários> De acordo com o Mercer, 84% dos funcionários não se sentem totalmente envolvidos no trabalho. 

Outra tendência de RH a se antecipar é em relação a mudanças na cultura organizacional. Os funcionários querem mais informações sobre como as empresas são administradas e querem opinar sobre a estratégia e implementação corporativa. 

Como resultado, a cultura organizacional agora se distancia das hierarquias tradicionais em direção a estruturas mais planas e circulares, que incluem os funcionários no processo de tomada de decisão. 

5. RH mais baseado em dados

Os departamentos de RH lidam fortemente com dados, e é hora de colocar todas essas informações valiosas em bom uso por meio da análise.

Com o apoio dos dados, os profissionais podem obter insights mais profundos sobre para que possam usá-los para tomar decisões e previsões mais inteligentes sobre a força de trabalho. Esses insights baseados em dados também provarão ser valiosos para os líderes de negócios. 

A análise pode ser aplicada a uma ampla variedade de métricas, como taxa de rotatividade, taxa de aceitação de oferta, absenteísmo e receita por funcionário. 

Com a tecnologia de análise de RH, os profissionais da área não só serão capazes de fornecer números sobre essas métricas, mas também descobrir as razões por trás desses números.

Por exemplo, os profissionais de RH podem usar essas análises para encontrar correlações com métricas, como anda a taxa de turnover da empresa, aumentos salariais e tempos de espera por promoção. 

Isso pode fornecer informações sobre os motivos da demissão de funcionários e ajudar as equipes de RH a criarem planos de retenção de funcionários com maior probabilidade de sucesso. 

6. Papel mais profundo na estratégia corporativa

Embora a importância dos profissionais de RH em uma organização não deva ser subestimada, muitos especialistas prevêem que a gestão de recursos humanos terá um papel mais envolvido na estratégia corporativa. 

Afinal, os profissionais de RH podem fornecer percepções e projeções valiosas sobre o desempenho da força de trabalho e seus efeitos nos resultados financeiros da empresa. 

Ao aumentar seu valor estratégico para as organizações, as equipes de RH podem assumir um papel mais ativo na promoção do crescimento dos negócios.

Da mesma forma, os profissionais de Recursos Humanos podem esperar que novos empregos ou especializações que se desenvolvam no futuro. 

Em breve, as empresas poderão ter cientistas de dados de Recursos Humanos, especialistas em experiência de funcionários,  aquisição de novos talentos e em experiência de candidatos em seus departamentos de RH. Para aumentar seu valor estratégico, mais profissionais da área também serão certificados nos próximos anos.

7. Foco na requalificação de trabalhadores

Em vez de aumentar os esforços para contratar trabalhadores talentosos, executivos e equipes de RH estão focados em requalificar e aprimorar sua força de trabalho para atender às necessidades de inovação de suas organizações e atender às metas corporativas.

Esse impulso para um maior aprendizado para a força de trabalho se torna uma tendência, pois é baseado em resultados de pesquisas que indicam a que diversas empresas apresentam colaboradores que ainda necessitam desenvolver suas habilidades para gerar um maior rendimento lucrativo.

Para lidar com essas preocupações, mais equipes de RH podem ajustar suas estratégias de aprendizagem e desenvolvimento.

Apostar em cursos especializantes, por exemplo, para os funcionários da firma pode ser muito mais interessantes e gerar menos turnover. Vale a pena!

8. Uma força de trabalho cada vez mais diversificada

Embora essa não seja uma tendência nova, as equipes de RH estão criando e precisam manter uma força de trabalho diversificada em termos de como gênero, raça e nacionalidade.

O aumento da pressão pela diversidade está a cada dia mais em pauta na sociedade, não somente brasileira, como global, mas ainda enfrenta muitos desafios. Infelizmente, como muitas pessoas, os próprios profissionais de RH são suscetíveis a pensamentos e decisões, que muitas vezes podem ser inconscientes e que influenciam o processo de contratação. 

Esses preconceitos prejudicam as próprias companhias. Afinal, ter um time diverso ajuda na construção de diferentes soluções para o desenvolvimento da empresa.

9. Aumento do investimento em desenvolvimento de liderança

O maior foco no desenvolvimento de lideranças será ainda mais crucial nos próximos anos. A geração dos millennials pode estar pronta para assumir a força de trabalho em breve, mas 63% desses trabalhadores mais jovens sentem que suas habilidades de liderança não estão sendo totalmente desenvolvidas por seus empregadores.

Com essa lacuna evidente na liderança, as equipes de RH estarão mais focadas no fortalecimento das estratégias de desenvolvimento de liderança de sua organização. 

A liderança complementar envolve o emparelhamento de líderes com conjuntos de habilidades complementares para que possam compartilhar responsabilidades. Esse estilo de liderança ajuda as equipes a permanecerem ágeis e eficientes, apesar das interrupções no futuro.

10. Cuide da saúde mental

O primeiro mês do ano é chamado de Janeiro Branco.  Assim como Setembro Amarelo, Outubro Rosa e Novembro Azul, essa campanha foi criada com o objetivo de é convidar as pessoas a refletirem  e se conscientizarem sobre a importância da saúde mental.

Segundo dados da OMS, cerca de 12 milhões de brasileiros sofrem de depressão. A ansiedade, por sua vez, atinge em torno de 20 milhões de pessoas no país.

Você propõe ações que ajudem na saúde mental do seu colaborador?

Com a Vee, você também pode dar aos seus colaboradores acesso ao Zenklub, uma plataforma para cuidar da saúde emocional. 

E-book RH Estratégico
Gostou? Compartilhe

Quer conhecer mais sobre os benefícios flexíveis da Vee? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.