RH estratégico: liderança, cultura e dados

Tempo de leitura: 4 min
RH estratégico: dicas para sua empresa

O que é um RH estratégico?

O profissional de Recursos Humanos é cada vez mais importante no dia a dia de uma empresa. Suas funções vão muito além das burocracias do dia a dia dos colaborares. Um RH estratégico está intimamente ligado à liderança, é parte da criação de valores e cultura da empresa e também precisa estar atento aos dados. Entenda todos os detalhes na coluna da Jessica Martins!

“Depois de mais de 4 anos ouvindo tantas práticas inspiradoras de empresas em vários níveis de maturidade, tamanho e cenário, pude entender alguns caminhos importantes para acelerar a transformação da área de RH.

Percebi que existem algumas temáticas que sempre retornam quando falamos de qualquer processo de RH, porém ainda são tratadas de formas separadas dentro da área e sobre como trazer pautas como liderança, cultura e dados para uma linha transversal no desenvolvimento das práticas do seu RH que vamos conversar neste artigo.

Inscreva-se em nossa Newsletter para ficar sempre por dentro dos novos conteúdos da Vee!

Para entendermos a transversalidade do tema liderança, é importante recordarmos um discurso antigo, porém ainda pouco praticado: “gestão de pessoas não é com RH”. Você, sendo da área de RH, provavelmente já escutou esta frase em algum momento da sua trajetória profissional. Queremos dizer quando falamos, que a liderança é quem deve ocupar o lugar de gestão e dar conta de pautas como carreira, desenvolvimento, engajamento, feedback, performance, entre outros temas relacionados ao time. No entanto, se olhar com atenção para como grande parte dos RH`s operam hoje, vai perceber que ainda não conseguimos colocar isso em prática, ainda que esta frase tenha se tornado clichê.


Ainda somos chamados pela liderança para agir em situações de conflito, para dar a “benção” na hora de ter conversas de carreira, para escolher o melhor treinamento, ou demitir alguém. E o pior de tudo, é que nós sempre nos colocamos à disposição para fazer tudo isso.

Assista na íntegra a apresentação de Jessica Martins:

E não se trata de falar não pra tudo. É sobre entregar as ferramentas certas para os problemas certos. É sobre trazer a liderança para a construção dos produtos de gente. É sobre mapear as skills de cada liderança e desenvolvê-la para consumir todas as suas soluções. É sobre entregar um dashboard com insights em tempo real. É sobre ter a liderança como parceira estratégica para escalar os resultados da área de RH. 

É sobre não fazer por ela, é sobre capacitá-la para fazer.


A liderança precisa estar envolvida em tudo. Ela precisa estar envolvida em todas as etapas de recrutamento e seleção, nas avaliações de gente, na construção dos planos de desenvolvimento de pessoas, nas conversas de carreira. Não devemos tratar qualquer solução para um time, sem a presença da liderança deste time.


O (a) líder e o RH são parceiros, e precisam trabalhar juntos no dia a dia e isso faz da pauta liderança um tema transversal, onde a todo momento você se diz: E a liderança, quando vamos envolvê-la? E a liderança, está preparada para este desafio? E a liderança, vai comprar este projeto?

No caso do assunto Cultura, não é diferente e a transversalidade do tema é bem importante para o alinhamento estratégico das ações de RH. 

Na minha visão, atualmente os RHs devem trabalhar reforçando a cultura ou transformando a cultura atual, e nos dois cenários, isso quer dizer que os produtos de gente precisam conversar com a estratégia de cultura. 

Neste caso, as áreas de RH têm um desafio muito grande, porque muitas vezes a cultura não é claramente identificada, o que não quer dizer que a empresa não tenha uma. É muito importante que você entenda de forma antropológica a cultura da sua empresa e as mensagens que cada símbolo passa no dia a dia, para que então você consiga mapear como de forma complementar os processos de RH, sejam eles de atração ou offboarding reforçam as mensagens centrais da cultura no dia a dia.

E por fim, os dados. Não trouxe essa pauta logo no início porque diferente dos temas liderança e cultura que são constantemente falados em qualquer contexto, os dados não estão presentes no nosso discurso como profissionais de RH e em cenários onde começamos a trazer essa pauta para a mesa, estamos falando de áreas de People Analytics. O que não é um problema, porém minha provocação é: todo profissional de RH, independente da sua especialidade precisa aprender a gerar, organizar e correlacionar dados.

Se você trabalha com recrutamento, carreira, desenvolvimento de pessoas, performance ou é um BP, você precisa entender sobre dados. E quando falo isso, não estou falando de saber programar (necessariamente, mas seria bom), mas entender a lógica dos dados e da geração de informações e correlações possíveis. 

Os dados aceleram o seu diagnóstico, torna mais precisa a sua decisão, mais personalizada a sua entrega e mais assertiva a sua contribuição para a estratégia do negócio.

A área de People Analytics vem para sistematizar um processo. O mindset data driven vem para mudar a sua forma de entregar os produtos de gente de ponta a ponta. 

Entendida a lógica e aplicação de forma transversal dos três temas, eu te pergunto: Liderança, cultura e dados são pilares fortes das suas soluções como uma área de RH Estratégica?

Gostou? Compartilhe

Quer conhecer mais sobre os benefícios flexíveis da Vee? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.