A pandemia criou novos objetivos para o seu colaborador. Como o RH da sua empresa pode ajudar?

Tempo de leitura: 3 min
Os melhores momentos da live sobre novos objetivos dos colaboradores em tempos de pandemia

Um dos poucos consensos sobre a vida depois da pandemia é que a vida não vai ser a mesma que era até o início do mês de março. Não à toa se cunhou o termo “Novo Normal”, que é trending topic em qualquer discussão sobre a realidade que iremos viver daqui pra frente, dentro ou fora das empresas. As pessoas têm novos objetivos, novos desejos. Mas como você, de Recursos Humanos, pode ajudar pode ajudar o seu colaborador neste momento?

Por isso, a Vee se uniu à 7waves e o Movimento Officeless em um evento online justamente para discutir este assunto e dar dicas práticas para quem trabalha com gestão de pessoas sobre como encarar os novos objetivos do seu colaborador.

LiVEE 26 de agosto

O evento faz parte da trilha LiVEEs, a série de lives da Vee Benefícios, focadas em profissionais do setor de Recursos Humanos e de gestão de pessoas. A apresentação foi de Raphael Machioni, CEO da Vee, com as participações de Rodolfo Ribeiro (fundador e CEO da 7waves) e Flavio Ludgero (iniciador do Officeless).

Como se preparar para os novos objetivos, pessoais e profissionais, depois da pandemia

Mas, afinal, quais são os novos objetivos do seu colaborador?

Uma pesquisa feita pela 7waves com mais de 12 mil dos seus usuários mostrou que realmente as pessoas já têm novos objetivos, planos e ambições para 2020, considerando o cenário de pandemia em que vivemos. 

Antes, as duas principais prioridades que elas tinham eram “Quitar dívidas” e “Viajar nas férias”. Agora, são “Guardar dinheiro” e “Iniciar um curso de especialização”. Ambas sinalizam uma única conclusão nos novos objetivos dos colaboradores: segurança e estabilidade em tempos de crise.

“22% dos usuários que querem subir de cargo postergaram os planos. Isso por conta da perspectiva de mercado e da economia desaquecida”, explica o Founder e CEO da 7waves, Rodolfo Ribeiro”. As pessoas colocaram um freio nas próprias perspectivas. O crescimento pode até vir, mas as pessoas já não esperam isso para 2020”

E qual o papel do RH neste novo momento do colaborador?

Durante a LiVEE, Raphael Machioni, o CEO da Vee ressaltou algo importante: o protagonismo do RH neste momento de transformação gerado pela pandemia de Covid-19. Se em crises anteriores outras áreas “brilharam”, essa é a vez do time de gestão de pessoas.

“O maior desafio do RH é se adaptar a que as pessoas estão e estarão em uma realidade diferente”, explica Raphael. “O papel do RH vai ser de alinhar a missão da empresa com a nova missão de vida das pessoas. E como a gente faz isso? Com tecnologia e dados”.

Flávio Ludgero, iniciador do Officeless no Brasil, também falou dessa nova fase mais analítica do RH. Para ele, isso inclusive vira argumento para ainda mais ações positivas na gestão de pessoas e nos novos objetivos dos colaboradores.

“Não é a toa que nunca ouvimos tanto falar em People Analytics. Isso, mais do que nunca, é fundamental (para o RH) apresentar argumentações com o board e o C-Level, mostrar que os indicadores de pessoas também são relevantes. E as empresas estão aprendendo a lidar com isso, a metrificar o RH, que precisa começar a desenvolver essa habilidade, unindo a empatia com lado racional”.

E o Home Office, ele veio pra ficar?

Se tem alguém que pode falar com propriedade sobre o trabalho remoto, esse alguém é Flávio Ludgero, do Officeless. Ele falou sobre a diferença entre Home Office, sobretudo neste momento de pandemia, para o trabalho remoto de verdade.

“Home Office não é sinônimo trabalho remoto por definição. O trabalho remoto é poder trabalhar do lugar que vc se sente mais produtivo naquele dia. Pode ser da sua casa, de um coworking, do escritório, um café, um aeroporto”, explicou.

E as empresas devem estar preparadas para isso se tornar o padrão, com essa flexibilidade.

O colaborador pode ser que não queira mais pegar horas de trânsito pra ir trabalhar, ele não vai querer mais aglomeração. Mas também vai ter quem prefira voltar ao escritório. É individual”, comentou Raphael Machioni.

O CEO da Vee também falou sobre a importância dos benefícios se adaptarem aos novos objetivos dos colaboradores. E os benefícios flexíveis são a alternativa ideal para empresas de todos os tamanhos. 

“A gente está vendo cada vez mais as empresas oferecendo um Auxílio Home Office, que ajuda os colaboradores a comprarem um kit ergométrico pra casa, além de gastos com luz, telefonia e internet. É por isso a gente fala em flexibilizar, isso ajuda as pessoas a usarem o dinheiro como elas quiserem e precisarem naquele momento”.

Quer saber como a Vee pode ajudar a sua empresa a entregar os melhores benefícios para os seus colaboradores? Então entre em contato acessando: https://vee.digital/contato 

Gostou? Compartilhe

Quer conhecer mais sobre os benefícios flexíveis da Vee? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.