Como reforçar a marca empregadora em momentos de crise

Tempo de leitura: 3 min
Como reforçar a marca empreendedora após a crise

Manter o padrão da  reputação corporativa em meio a uma crise na qual diferentes companhias estão diminuindo seus quadros pode parecer uma missão difícil de superar, mas é possível sim e há cases para provar isso. Até mesmo nos momentos mais complexos a gestão de pessoas deve continuar sendo uma prioridade. É isso que fazem várias empresas que aparecem nas listas do GPTW – Great Places To Work: cuidar de sua marca empregadora.

É o que acontece com Mercado Livre, Boticário, Magalu e Natura. Todas elas têm o selo de excelente lugar para se trabalhar da HSR Specialist Researchers, que no passado mês de março publicou um ranking de marcas transformadoras que continuaram sendo relevantes para o consumidor mesmo durante a crise gerada pela pandemia de Covid-19, considerando  três aspectos:

  • Lembrança espontânea da marca em ações voltadas para o combate à pandemia; 
  • Potencial de comunicação considerando o número de seguidores nas redes sociais; 
  • Associação da marca aos seis atributos essenciais para construção de imagem de marca transformadora, como investimento em segurança dos colaboradores, 

Luiza Helena Trajano, presidente do Conselho do Magazine Luiza e presidente do Grupo Mulheres do Brasil, já falou sobre a experiência do Magalu como marca empregadora durante momentos de crise.

Pessoas antes de negócios como base da marca empregadora

Já faz algum tempo que o Great Place To Work vem sinalizando a ligação entre bons resultados nos negócios e boa gestão de pessoas. Priorizar o cliente interno, ou seja, os colaboradores é base para a que uma empresa seja sustentável seja em momentos de mais tranquilidade ou naqueles mais difíceis. Cuidar dos funcionários e ouvi-los tem impactos reais.

Um estudo do ranking Great Place To Work de 2019 apontou que colaboradores enviaram, em média, 2623 sugestões para cada  organização que figura na lista das 150 Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil. Uma média de 2077 delas por companhia foi efetivamente colocada em prática, o que corresponde a quase 80%. Essas ideias renderam um ganho médio de de R$ 201 milhões para elas.

Mas os resultados vão além da inovação e dos ganhos financeiros brutos, alcançando até mesmo a  imagem da marca perante os seus consumidores. De acordo com um estudo do LinkedIn, quando a marca empregadora é trabalhada adequadamente, a marca de consumo tem tendência a receber mais reconhecimento de clientes.

Solidariedade também atrai atenção 

A consultoria Demanda fez uma pesquisa para identificar quais foram as marcas mais recordadas pelos consumidores em relação a solidariedade, isso mesmo durante a pandemia. 

Todo o top 3 já figurou, em algum momento, no ranking de melhores empresas para se trabalhar. A conclusão é simples: existe um forte vínculo entre o employer branding e a marca de consumo. Ou seja: investir na sua marca como empregador vai além dos impactos no time.

índice de confiança das empresas eleitas como as melhores para se trabalhar normalmente é acompanhado de uma visão positiva que os consumidores têm das empresas, como o próprio Great Place To Work identificou. Assim, quanto maior a confiança dos colaboradores, maior o nível de satisfação do cliente.

3 dicas para gerenciar a imagem corporativa em momentos de crise

Algumas ações simples podem mitigar o impacto da crise corporativa causada pela pandemia do novo coronavírus. Veja as dicas:

1. Transparência na empresa é fundamental

Este é um momento de incerteza e, naturalmente, as pessoas estão inseguras sobre os seus postos de trabalho e até mesmo sobre o futuro da empresa em curto e médio prazo. Uma política de portas fechadas e silêncio vai apenas aumentar a sensação de medo dos seus colaboradores. 

Empresas que ainda não tenham uma política de transparência e comunicação aberta com os colaboradores têm essa oportunidade para rever isso. Aquelas que já tem uma via de diálogo aberta, podem melhorar ainda mais essa relação.

2. Ofereça apoio aos seus colaboradores caso a demissão seja inevitável

Nem todas as empresas podem garantir estabilidade aos seus funcionários neste momento. Se demissões precisarem ser efetuadas, seja sincero ao explicar os motivos de desligamento, os critérios usados para isso e ofereça ajuda aos ex-funcionários, como por exemplo indicando os profissionais para o mercado.

3. Crie conexões reais entre a sua marca e o seu público

Um estudo da Kantar Insights sobre o período de pandemia mostrou que 67% esperam que as empresas ajudem de alguma maneira os consumidores e que 75% repudiam a autopromoção. Ou seja, as marcas devem amparar os colaboradores e clientes de forma honesta.

Karina Collenghi, especialista da consultoria, é taxativa: “Nós percebemos quando alguém está tentando se autopromover”.

Em resumo: ter uma imagem corporativa de qualidade traz benefícios em diversos âmbitos do negócio, não apenas para o time. Se você quer saber como fortalecer a sua marca empregadora, avaliar as experiências dos seus colaboradores e ser mais rentável, conheça a jornada para transformar a sua empresa em um Great Place to Work.

Banner GPTW Vee
Gostou? Compartilhe

Quer conhecer mais sobre os benefícios flexíveis da Vee? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.