Como montar um programa de desenvolvimento de líderes? Entenda!

Tempo de leitura: 5 min
Dicas para organizar um programa de desenvolvimento de líderes

Se a sua empresa ainda não conta com um programa de desenvolvimento de líderes, é preciso resolver essa falha com urgência. Liderar pessoas é um verdadeiro desafio e as empresas sofrem para encontrar pessoas capacitadas para ocupar esse cargo. Uma pesquisa, conduzida pela Manpower Group, mostra que 37% das empresas de grande porte relataram dificuldades para preencher as vagas de trabalho abertas. Algumas chegam a contar com a ajuda de profissionais especializados nesse tipo de contratação, os headhunters.

Por isso, vale a pena apostar em bom programa para capacitar os futuros gestores. Quer entender melhor como isso funciona? Continue a leitura!

O que é um programa de desenvolvimento de líderes?

O programa de desenvolvimento de líderes busca a formação dos futuros gestores dentro do quadro de funcionários atuais da empresa. A partir de um trabalho de identificação de pessoas que tenham algumas das habilidades necessárias, o RH busca trabalhar outros pontos importantes para que o profissional consiga assumir o cargo com uma boa performance.

A definição das habilidades necessárias para ser gestor pode variar entre cada empresa. Afinal, devem ser considerados aspectos como a cultura organizacional, o nicho de negócio e as exigências dos CEOs em relação aos resultados, apenas para citar alguns.

Cases de programas de liderança bem sucedidos

Podemos citar alguns exemplos de empresas que criaram programas de desenvolvimento de líderes e alcançaram bons resultados com essa estratégia.

A brasileira Natura criou o seu programa interno de liderança em 2007, com a preocupação de manter o DNA da empresa. Como consequência, a empresa foi apontada como a 13ª maior formadora de líderes em um ranking mundial organizado pela Revista Forbes.

Já a varejista de moda Renner começa a preparação de seus líderes por meio de um programa de trainee. A empresa tem como premissa a valorização dos funcionários, e tem alcançado esse objetivo ― 80% dos seus líderes são profissionais que passaram pelos programas internos de desenvolvimento.

Como ele pode impactar a empresa?

Além da dificuldade em encontrar profissionais com as competências técnicas, os recrutadores encontram outro obstáculo na hora de contratar: localizar pessoas com as soft skills desejadas, ou seja, as competências emocionais. É um ponto ainda mais importante e que afeta totalmente a qualidade da liderança. Afinal, questões como empatia, capacidade de escuta e outras que podem estar ligadas ao fit cultural como dinamismo e proatividade, dificilmente podem ser totalmente desenvolvidos. E elas são mais fáceis de serem encontramos em pessoas que já conhecemos do que em uma entrevista.

Assim, com o desenvolvimento de um programa de desenvolvimento de líderes, os funcionários que já têm o perfil adequado podem ser treinados com as habilidades técnicas para ocupar o cargo.

Mais uma vantagem é que, além de economizar um bom valor gasto no processo seletivo, há a possibilidade de estruturar um plano de carreira, capaz de motivar os colaboradores. Outros impactos positivos percebidos na implementação dessa estratégia são a proteção da inteligência da empresa e a familiaridade dos líderes com as normas e o modus operandi da corporação.

Como estruturar um programa de desenvolvimento de líderes?

Se há interesse em implementar esse tipo de programa onde você trabalha, mas não há clareza sobre como realizar isso, essas dicas certamente vão ajudar.

Definir as necessidades das lideranças

Um bom exercício para começar a implementação é pensar nos gargalos que a liderança atual apresenta, como as habilidades que faltam nesses gestores. Também vale a pena considerar as metas corporativas em curto e longo prazo, entendendo de que forma os líderes correspondem a esses objetivos. A partir disso, é possível pensar em como estruturar treinamentos capazes de desenvolver essas competências, fazendo do programa de líderes um recurso estratégico.

Coletar o feedback sobre a atuação dos gestores

Boa parte da satisfação dos funcionários está ligada à performance da liderança. Por melhor que seja a empresa para trabalhar, se o gestor não sabe conduzir ou se relacionar com a equipe, os trabalhadores acabam por buscar novas oportunidades. Por isso, vale a pena entender como está a postura dos gestores atuais, a fim de identificar mais alguns pontos que podem ser tratados como essenciais na postura da próxima geração de líderes.

Desenvolver (e não treinar) os futuros líderes

É importante destacar um ponto capaz de causar confusão: treinar é diferente de desenvolver. Os líderes podem ser estimulados, mas não treinados como se fossem o produto de uma fábrica de gestores. Para alcançar esse objetivo, o programa deve ter intervenções como mentoria, coaching, rotação de cargos e projetos de liderança, todos baseados em um cuidadoso planejamento. Conceitos teóricos e cursos podem fazer parte do programa, mas não devem ser a única iniciativa.

Identificar os líderes em potencial

Um erro comum nos programas de liderança é reconhecer apenas os profissionais com alto desempenho. Os futuros líderes podem estar em qualquer lugar da sua empresa e nem sempre um profissional eficiente é um bom gestor. Para identificar essas pessoas, é preciso ter uma mente aberta e fazer um “garimpo” na empresa, encontrando os diamantes brutos. 

Também vale a pena lembrar que nem sempre os profissionais com capacidade para serem os futuros líderes terão vontade de assumir um cargo de tanta responsabilidade. De qualquer forma, faz parte do trabalho do RH deixar clara essa oportunidade e abrir os caminhos para que o desenvolvimento aconteça.

Incentivar a participação em diferentes projetos

Um líder deve entender as diferentes facetas da empresa e como os departamentos se relacionam em prol de um único objetivo. Ele não precisa conhecer todos os detalhes, mas devem ter uma visão geral das operações.

Para isso, durante o programa de desenvolvimento, estimule os funcionários a participarem de projetos fora do que estão acostumados a fazer, exercitando as suas habilidades e adquirindo novas competências. Isso vai forçá-los a sair da zona de conforto e incentivar a criatividade. Só tome cuidado para não sobrecarregar essas pessoas, para não comprometer a qualidade do trabalho nem afetar a saúde emocional e física dos participantes.

Medir os resultados

Antes mesmo de pensar em qualquer ação prática, é imprescindível definir como esse programa de desenvolvimento de líderes será mensurado. Para isso, algumas das métricas que podem ser aplicadas são:

  • número de participantes que concluíram o programa com sucesso;
  • número de participantes que foram promovidos;
  • a percepção das equipes quanto à formação de gestores realmente qualificados.

Acompanhar esses números é importante para ter um parâmetro dos resultados apresentados pelo programa e como ele afetou a sua empresa, entendendo o que pode ser melhorado nas próximas edições.

Oferecemos, aqui, algumas diretrizes para implementar um programa de desenvolvimento de líderes na sua empresa. Essas iniciativas ajudarão na formação de equipes mais coesas e gestores com profundo conhecimento do negócio, além de melhorar a motivação e proporcionar oportunidades reais de crescimento aos funcionários.

Vale ressaltar que os programas de desenvolvimento de líderes ajudam a promover a retenção dos funcionários. Afinal, além de promoverem boas condições de aprendizado aos colaboradores, essas estratégias são estruturadas em um plano de carreira bem robusto. São dois fatores que influenciam muito na retenção dos colaboradores, além de condições favoráveis de trabalho, ambiente saudável e um pacote de benefícios.

Que tal começar oferecendo a melhor estrutura possível aos seus trabalhadores? Entre em contato conosco, conheça os nossos pacotes de benefícios flexíveis e saiba como podemos ajudar!

Gostou? Compartilhe

Quer conhecer mais sobre os benefícios flexíveis da Vee? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.