Benefícios Flexíveis: o que são e por que empresas vão precisar deles

Tempo de leitura:

Como um bom habitante do planeta Terra, caro leitor, você certamente sabe o que é a transformação digital. Mais do que isso, sabe como essas duas palavrinhas representam uma avalanche de mudanças em todos os mercados. Mas o que isso tem a ver com benefícios flexíveis?

A verdade é que nos últimos anos, todos os setores de uma empresa sofreram um processo intenso de modernização. Isso aconteceu com marketing, vendas, finanças etc. Embora mais recente as mudanças no RH, não são menores, nem menos profundas.

Quer entender esse novo momento da gestão de pessoas e saber como os benefícios flexíveis entram em cena? Continue lendo este artigo.

RH do Futuro e os benefícios flexíveis

Por muitos anos o RH recebeu uma posição secundária dentro do planejamento estratégico e da hierarquia das empresas. Suas atividades eram muito mais ligadas às tarefas operacionais e burocráticas relativas aos colaboradores.

Recentemente, essa lógica tem se invertido e o setor de RH cada vez torna-se mais estratégico, sendo considerado um importante diferencial competitivo. Esse fato é diretamente relacionado a três características:

  • uso da tecnologia;
  • entendimento da importância do capital humano;
  • novo papel do profissional de RH.

As possibilidades criadas pelas novas tecnologias transformaram o RH em uma verdadeira mina de ouro. Ou melhor, numa fonte inesgotável de dados estratégicos. Artigo indispensável para a tomada de decisões assertivas.

Por outro lado, o fator humano tem sido cada vez mais colocado no centro da busca por performance. Atração e retenção de talentos, clima e cultura organizacionais e engajamento são as palavras da vez.

Com isso, os profissionais da área ganham uma nova importância. Passaram a ser agentes de inovação. Podem ser verdadeiros catalisadores de mudanças na empresa, pois são os responsáveis por alinhar a gestão e as pessoas.

Se você quiser repetir a pergunta ali de cima eu responderei: Tudo! Benefícios flexíveis têm tudo a ver com o novo momento do RH. Eles são a união perfeita dessas tendências.

Estamos falando de uma poderosa arma nas mãos da equipe de RH para a retenção de talentos que só pode ser oferecida, de forma simples e prática, em função da tecnologia digital.

O que são benefícios flexíveis?

A política de benefícios flexíveis é uma das principais tendências de RH para os próximos anos. Não é exatamente uma novidade, já que o conceito foi desenvolvido nos anos 70, nos Estados Unidos, mas sua utilização tem sido popularizada no Brasil apenas nos últimos anos.

A explicação para esse fenômeno responde a três argumentos principais:

  • Em primeiro lugar, como falado acima, a competitividade crescente em todos os mercados colocou a produtividade no centro da performance de um negócio. Se entende hoje em dia que colaborador feliz e engajado é igual a profissional produtivo, então métodos de como motivar funcionários estão em alta.
  • Também pesa nessa decisão a mudança de estilo de vida dos brasileiros. As pessoas estão muito mais preocupadas com a saúde e a qualidade de vida. Além disso, a transformação digital iniciou um processo de empoderamento em diversas áreas, a maior parte das pessoas gosta de ver essa tendência expandida para a vida profissional.
  • O terceiro motivo diz respeito às questões operacionais. Certamente inúmeras empresas já entendem há muito tempo as vantagens desse modelo, mas esbarravam na dificuldade operacional.

Felizmente, a tecnologia resolveu grande parte dessas dores. Startups, como a Vee, desenvolvem soluções digitais capazes de simplificar, quase completamente, a vida da equipe de RH.

Bom, voltemos ao tópico central. Uma política de benefícios flexíveis é um sistema que oferece ao colaborador a liberdade de escolha.

No formato tradicional a empresa é quem indica quais benefícios a equipe vai receber, independente das necessidades individuais de cada colaborador. Ainda, este processo requer um trabalho operacional complexo.

Com a Vee Benefícios, o gestor da empresa apenas configura os padrões a serem ofertados para os colaboradores, e estes, por sua vez, fazem o setup de como desejam utilizar nas diferentes finalidades permitidas por legislação e acordos coletivos.

Quais benefícios compõem uma política flexível?

Existem muitas possibilidades de benefícios a serem ofertados e as organizações têm total liberdade de escolher quais fazem sentido para sua estratégia. Entre os mais comuns estão:

  • Academia
  • Auxílio educação (idiomas, graduação, especialização etc.)
  • Auxílio Pet
  • Auxílio-creche
  • Auxílio-medicamento
  • Clube ou atividades recreativas
  • Coach
  • Consultorias pessoais
  • Estacionamento
  • Plano de saúde e odontológico
  • Previdência privada
  • Seguro de vida
  • Serviços de telefonia
  • Vale-combustível
  • Vale-refeição ou alimentação

Devo aderir a uma política de benefícios flexíveis?

A resposta é sim! Os benefícios flexíveis são um grande exemplo de ações ganha-ganha. Aumenta o bem-estar dos colaboradores e a performance das empresas.

Abaixo, trazemos algumas vantagens para ambas as partes:

Para o colaborador

Necessidades satisfeitas

Com o poder de escolha é muito mais fácil para o colaborador escolher benefícios que satisfaçam suas necessidades específicas. Dessa forma, a percepção de poder de consumo cresce consideravelmente.

Empoderamento

É natural que os membros da equipe passem a se sentir muito mais valorizados e empoderados a partir da flexibilidade.

Para o negócio

Os reflexos das vantagens percebidas pelos colaboradores são rapidamente percebidos na performance do negócio. Esse fato é resultado do impacto em diversos indicadores imprescindíveis ao RH, como engajamento, rotatividade, clima e cultura organizacional.

Um dos aspectos mais importantes nessa tomada de decisão é, certamente, o ROI (retorno sobre investimento). Sobre isso, temos boas notícias. O custo operacional proposto por empresas altamente tecnológicas, como a Vee, é muito baixo. Assim, o investimento costuma obter rápido retorno com o aumento de produtividade.

Além disso, os benefícios flexíveis são uma ótima porta de entrada para soluções financeiras digitais voltadas aos colaboradores.

A partir da experiência positiva, é possível ampliar o portfólio de soluções que facilitam o dia a dia dos profissionais do RH. Com isso, é possível reduzir custos e automatizar processos, deixando mais tempo disponível para tarefas estratégicas.

Aderir a essas ferramentas também é garantia de maior segurança jurídica, já que todos os pagamentos feitos via Carteira Digital da Vee têm conformidade com a legislação trabalhista.

Ainda tem dúvidas sobre a efetividade de ações de gestão de pessoas, como os benefícios flexíveis, no desempenho das organizações? Confira abaixo a relação entre essas iniciativas e a rotatividade na indústria de tecnologia.

Gestão estratégica de pessoas contra o turnover

A relação entre políticas de gestão de pessoas e a performance do negócio pode parecer um tanto abstrata. Felizmente, alguns levantamentos ajudam a entender o tamanho do impacto que essas ações podem gerar.

Um bom exemplo é a pesquisa divulgada pela consultoria Paysa sobre o mercado de trabalho no mercado de alta tecnologia. Ela traz alguns dados interessantes, como a rotatividade nessas empresas.

Foram analisadas mais de 31 mil transições de colaboradores para outras empresas ou para outras funções no mesmo negócio. Dessa forma, conseguiu demonstrar que algumas organizações conseguem reter talentos por mais tempo, mesmo sem promoções e alterações de cargos.

Entre as organizações pesquisadas, a Hewllet-Packard se destaca com a menor taxa de turnover, equivalente a 6,1 anos. Outras empresas como Groupon, Twitter e Dropbox aparecem bem abaixo na lista, com apenas 2 anos de permanência média.

O mais interessante é a relação entre a rotatividade e a remuneração dos colaboradores. Nos três exemplos em que os profissionais esperam por um par de anos, a média de salário anual no momento da troca de emprego ultrapassa os 140 mil dólares. Já na HP, a remuneração era de pouco mais de 105 mil dólares.

É claro que esse resultado pode ter influência de inúmeros fatores. Mas é possível afirmar que ações internas efetivas de gestão de pessoas estão ligadas a esse resultado de mais de 300% superior em permanência contra uma remuneração 25% menor.


O estudo descrito acima, e muitos outros, apontam na direção da gestão de pessoas como uma das ferramentas mais eficientes para o sucesso empresarial. No núcleo desse conceito está a certeza de que entender e respeitar a individualidade de cada colaborador é vital para o sucesso.

Pensando nisso, os benefícios flexíveis podem representar um enorme passo para que cada pessoa dentro do negócio se sinta valorizada e empoderada para oferecer o seu melhor.

Saiba mais

COMENTÁRIOS