Gestão remota: 6 boas práticas para avaliação de desempenho

Tempo de leitura: 4 min
Dicas práticas para avaliar o desempenho de sua equipe durante sua gestão remota

Com uma pandemia que se expandiu rápido e chegou sem avisar, a adoção do home office teve que ser aplicada rapidamente nas empresas. A transformação digital já vem dando avisos há certo tempo que esse modelo trabalho continuará em crescimento, mas as organizações precisam se preparar. O RH, por exemplo, deve se adaptar para fazer a avaliação de desempenho de forma justa, mesmo com a gestão remota.

Avaliar o desempenho dos colaboradores já faz parte da rotina das empresas. No entanto, na administração remota há outros elementos que precisam ser considerados. Desse modo, a cultura de feedback precisa de ajustes, pois o contato digital exige maiores cuidados do que aquele feito pessoalmente.

Os feedbacks precisam ser francos e construtivos. Assim, a avaliação de desempenho deve ser realizada com cuidado, sobretudo no home office. Por isso, confira 6 boas práticas para realizar a avaliação de desempenho remota na sua empresa.

1. Definir os fatores da avaliação de desempenho

No momento de construir a avaliação de desempenho remota podem surgir muitas dúvidas. Afinal, como e o que avaliar no trabalho em home office? Para começar, é preciso estruturar os processos e identificar maneiras de facilitar as avaliações à distância.

Dessa forma, é preciso conhecer a fundo a cultura da empresa, seus valores e objetivos. Isso dará um bom um embasamento para começar a estruturar e definir os fatores de avaliação. Antes de tudo, para garantir a performance da equipe é preciso contar com uma boa liderança.

Assim, com base nas habilidades e competências de cada colaborador é possível fazer uma avaliação justa, apesar da distância. Por isso, veja alguns fatores que podem ser utilizados para avaliar o trabalho remoto:

  • comunicação com a equipe e entrega de informações;
  • comprometimento com a cultura da empresa e as normas estabelecidas;
  • entrega de resultados;
  • comportamento individual;
  • habilidades (proatividade, autogestão, inteligência emocional e outros);
  • engajamento nas atividades e tarefas;
  • cumprimento de prazos.

2. Ter padrões e protocolos para seguir durante a gestão remota

Os protocolos são fundamentais para que todos os colaboradores entendam a fundo sobre quem é a empresa, bem como sua visão e valores. Além disso, eles são importantes para manter o trabalho em equipe alinhado, assim como estabelece comportamentos padrões para a organização.

Nesse contexto, para que todos sejam avaliados conforme suas entregas e comportamentos é preciso ter um padrão comparativo. Portanto, os protocolos são os padrões que servem como guia para fazer as avaliações. Do mesmo modo, se acontecerem conflitos ou dificuldades, os comportamentos os modelos serão utilizados como base para solucionar tais questões.

De forma mais prática, os protocolos são como instruções para os colaboradores e facilitam o diálogo entre RH, gestores e colaboradores. Assim, também deve haver padrões para a gestão remota.

3. Traçar objetivos

Para alcançar os resultados desejados dentro de uma empresa, tudo deve começar o planejamento e a definição de objetivos. São os propósitos que norteiam todas as ações dentro da organização, inclusive no trabalho remoto.

Chegar até o objetivo que foi definido exige um trabalho árduo. Não basta saber onde chegar, é preciso especificar o passo a passo para atingir as metas especificadas. Assim, é fundamental identificar quem realizará cada etapa, os métodos que serão usados e outros detalhes. Dessa maneira, no momento da avaliação de desempenho será mais fácil saber por onde começar.

Para fazer as avaliações, não é somente realizar uma comparação do objetivo inicial e se ele foi alcançado. Todo o trajeto de execução das tarefas são importantes.

4. Escolher os tipos de avaliações

Em um planejamento para avaliar o desempenho, sobretudo de forma remota, a escolha dos tipos de avaliações que serão aplicados é determinante para ter resultados mais claros. Para isso existem os seguintes tipos de avaliação:

  • autoavaliação: como o próprio nome diz, na autoavaliação cada colaborador pode fazer uma análise sobre si e seu desempenho de acordo com as perguntas presentes em um questionário;
  • avaliação direta: esse é um dos modelos de avaliação mais comuns, em que o gestor e o RH fazem a análise de cada colaborador e também dos resultados em equipe, abordando pontos positivos ou negativos;
  • avaliação conjunta: esse é um método de avaliação de duas mãos, em que a gestão avalia os colaboradores mas também é avaliada, sendo mais flexível e investindo no diálogo para melhorar os resultados.

5. Formular um questionário

A realização das avaliações de desempenho precisam algo que sirva como um mapa e, dessa forma, oriente os gestores, colaboradores e o setor de RH. Nesse sentido, a formulação de questionários personalizados são o jeito certo para ter uma espécie de diálogo com os colaboradores. Portanto, com a elaboração de questionários é possível construir um modelo de avaliação remota de desempenho mais eficiente.

Para isso, há dois cenários que podem ser utilizados. O primeiro conta com avaliações mais estruturadas que contam com questionários mais estratégicos, abordando o que o RH precisa saber. Diante disso, essas questões podem ser aplicadas, em média, de 3 em 3 meses, pois nesse período se consegue observar o progresso gradativo dos colaboradores.

Já o segundo é mais consistente e pode ser feito com mais frequência, até mesmo em tempo real. Nesses questionários, o RH define os comportamentos e valores mais adequados de acordo com o perfil da empresa. Assim, os funcionários respondem e se tomam decisões com base nessas respostas.

6. Passar feedbacks claros

O feedback deve fazer parte da cultura das empresas, pois é um valor construtivo que auxilia para que se tenha resultados mais satisfatórios. No entanto, o RH deve ter cuidados para avaliar e comunicar tanto os aspectos positivos quanto os negativos durante a gestão remota. Nesse sentido, é necessário formular a mensagem de forma clara para não haver nenhum mal entendido.

Assim como em feedbacks presenciais, os feitos remotamente precisam ser realizados de forma individual. A privacidade é um ponto essencial para que o colaborador não fique constrangido e absorva o que foi repassado. Afinal, o RH faz isso pensando no crescimento pessoal dos funcionários e também nas metas da empresa. Portanto, a avaliação de performance em home office deve ser adaptada para essa realidade.

Após fazer a avaliação de desempenho dos colaboradores, o feedback também deve ser realizado de forma remota. Portanto, é fundamental tomar cuidado em como falar e escolher as palavras certas para, desse modo, evitar qualquer tipo de mal entendido. Assim, a gestão de pessoas consegue extrair o melhor dos funcionários mesmo em home office.

Agora que você entende como fazer avaliações de forma remota, aproveite e se inscreva na nossa newsletter para que você receba mais conteúdos como este no seu e-mail!

Gostou? Compartilhe

Quer conhecer mais sobre os benefícios flexíveis da Vee? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.