Como proporcionar flexibilidade com Benefícios Flexíveis?

Tempo de leitura: 3 min
Como proporcionar flexibilidade com Benefícios Flexíveis?

Em uma gestão de benefícios, o RH precisa lidar com uma lista de algumas das possibilidades do que se pretende proporcionar aos seus colaboradores. Flexibilidade é a palavra chave. Quantos benefícios você consegue imaginar que possam existir? E quais seriam os principais? Confira nosso post contando sobre os melhores benefícios que sua empresa pode oferecer! 

O RH tem um papel importante no momento de decidir o que será oferecido de benefícios ao time da sua empresa. Porém, pode ser uma situação desafiadora para as gestões, já que elas precisam lidar com algumas questões. 

Uma das maiores dores da área de recursos humanos é a dificuldade em encontrar um modelo de pacote de benefícios que possa estar dentro das normas da legislação e ainda ser tecnológico.  E além disso, como aliar essa flexibilidade às leis trabalhistas e acordos sindicais?

Guia de gestão de benefícios para empresas

Como oferecer Benefício Flexível e ainda Flexibilizar os Benefícios? 

Afinal, você entende a diferença? 

Como resposta para essas questões e para as dificuldades do RH com uma gestão que possa estar alinhada com as expectativas dos colaboradores, vamos apresentar a Vee e explicar porque somos a sua melhor opção!

Digital e em um só lugar

Oferecer benefícios, muitas vezes, também é sinônimo de uma longa procura entre fornecedores para diferentes demandas. Por isso, a Vee oferece uma plataforma digital e tecnológica com todos eles em um só lugar, como em grandes multinacionais, mas com um custo que cabe na sua empresa. 

A Vee tem um aplicativo, o qual você tem acesso a todos os seus benefícios, você pode consultar seu saldo e ainda fazer pagamentos de forma digital, como utilizando o QR Code. Além disso, o app Vee Pay ainda permite pagamento de boletos e acesso a uma rede exclusiva de parceiros.

Respeitando as normas e o acordo sindical, a Vee consegue proporcionar um modelo a sua gestão de modo que não haja nenhum tipo de problema relacionado a aspectos legais para a sua empresa. Dessa maneira, o setor de recursos humanos não prejudica o colaborador quanto aos benefícios que ele já tinha e sim, os flexibiliza. Mas como? 

Benefícios Flexíveis X Flexibilidade nos Benefícios 

O primeiro deles, de maneira simples, é proporcionar um pacote de benefícios ao seu colaborador. Eles são previamente selecionados pela gestão de RH para decidirem quais modelos que desejam adotar. 

O segundo deles é proporcionar a liberdade de escolha ao seu colaborador em relação a como ele deseja utilizar seu saldo de benefícios. A Vee pode ser a solução da sua empresa: você pode ter os dois! 

Em nossa carteira Vee, oferecemos descontos em academias, plataforma para cuidar da sua saúde emocional, descontos exclusivos, pacote de viagens, entre muitos outros. E o melhor é que o seu colaborador que escolhe quais benefícios são mais relevantes a ele e como ele pretende usá-los. Ou seja: ele usa o seu dinheiro como preferir!

O seu RH também não precisa se preocupar com gastos extras, já que é possível utilizar o mesmo valor que antes era oferecido, mas agora em uma gestão flexível – em todos os aspectos.  Temos um post sobre como você pode descomplicar a forma dos seus colaboradores usarem benefícios!

E o que isso tem de vantajoso para a minha empresa? 

Sabia que oferecer Benefícios Flexíveis têm muitas vantagens para, inclusive, amplificar o desenvolvimento do seu negócio? Olha só: 

  • Você pode proporcionar um curso, por exemplo, ao seu colaborador. Dessa forma, ele adquire aprendizado para ele próprio e para as atividades no trabalho.  
  • Com o poder de escolha e autonomia do colaborador, ele cria uma identidade dentro da empresa. Isso gera engajamento, reconhecimento da importância do seu papel e aumentar a produtividade. Saiba porque funcionários felizes são bons para a sua empresa. 
  • Proporciona um ambiente diverso, com diferentes gerações, gênero, ideias e inovações.
  • Menor rotação de funcionários – ajuda na retenção e atração de talentos
  • Saúde emocional e flexibilidade: você também pode proporcionar uma plataforma para cuidar da saúde emocional do seu colaborador, aspecto essencial para um trabalho sadio e positivo, aspectos que uma gestão de pessoas deve estar atenta. 

Em resumo: somente coisa boa! Está curioso para saber como você pode ter a flexibilidade da Vee na sua empresa? Entre em contato com a gente agora mesmo e vamos conversar! 

Gostou? Compartilhe

Flexibilidade e cuidados para diminuir os impactos na economia em momentos de pandemia

Tempo de leitura: 5 min
Flexibilidade e cuidados para diminuir os impactos na economia em momentos de pandemia de covid-19
Flexibilidade e cuidados para diminuir os impactos na economia em momentos de pandemia de covid-19

Muitas empresas já estão sentindo o impacto que a pandemia de Covid-19 tem causado em seus negócios. É certo que a economia será fortemente atingida em meio a essa crise e quem sentirá a consequência de todas essas ações são as pessoas. Esse é o momento de criarmos novos hábitos e prioridades para que o vírus possa ser definitivamente combatido.

Iniciativas para diminuir os impactos na economia das empresas em momentos de pandemia

Veja as inciativas para curto, médio e longo prazo:

1. Trabalho remoto

Você já pensou na possibilidade de adotar uma política de trabalho à distância no seu negócio? Empresas com trabalho remoto trazem uma nova flexibilidade ao modelo tradicional e podem, inclusive, gerar mais produtividade aos seus colaboradores. Em pesquisa realizada pela PowWowNow, 58% dos colaboradores remotos entrevistados sentem-se mais produtivos trabalhando de casa. Você também pode conferir o nosso post com algumas dicas sobre como ser mais eficaz no Home Office. 

Mas o que isso tem a ver com o combate ao Covid-19? Tudo! Ao implementar a prática do Home Office, além de você evitar que os seus colaboradores possam enfrentar aglomerações durante o trajeto deles até a empresa, com o seu local de trabalho tendo uma rotatividade de pessoas, isso também evita que o contato físico entre eles seja maior. 

Ainda que muitas das empresas estejam fazendo essa prática de trabalho e emprego remoto apenas agora, devido ao momento de reclusão em que estamos vivendo, aprender a lidar com a gestão remota pode ser muito útil para o seu negócio e para medidas de segurança do contágio. Tem dúvidas de como sua empresa deve lidar com benefícios dos colaboradores quando eles fazem o Home Office? Veja aqui o conteúdo que fizemos.

Com diversos aplicativos e ferramentas, você pode alterar reuniões presenciais por onlines, continuar mantendo a mesma cultura da empresa, com canais abertos para conversas, alinhamentos e interações. Continuar mantendo a cultura do seu negócio e relações de trabalho é essencial para que os seus colaboradores sejam engajados e motivados com o trabalho.

2. Disposição das equipes 

Uma das consequências da pandemia, como apontado no começo, é em relação ao impacto na economia. E isso pode ser uma questão bastante problemática para o seu negócio quando isso começa a atingir nossas equipes. Imagina se diversos colaboradores ficam doentes de uma só vez ou se o líder de uma área, ou alguém responsável por determinada função essencial, não pode trabalhar. Isso pode gerar diversas consequências para a sua empresa. 

Para evitar que isso aconteça, você deve planejar que uma boa organização na sua equipe. Primeiro, pense em cada colaborador e os separe por grupos de responsabilidade. Se você tiver pessoas no seu trabalho que desempenham funções únicas ou de liderança no seu negócio, evite que elas estejam no mesmo ambiente. 

Outro tipo de planejamento que você pode estabelecer é pensar em pessoas ou colaboradores que você pode substituir para tal cargo, caso seja necessário. 

Converse com seus colaboradores e ouça o que eles têm a dizer. Certifique-se de que o modelo que você adotar para a disposição de cada um esteja de acordo com suas expectativas. Assim, você também estabelece mais flexibilidade, incentiva o aprendizado e promove a saúde organizacional, com a sua equipe engajada. 

3. Saúde e higiene 

É muito fácil cairmos na armadilha de apenas adotar hábitos de higiene quando já estamos em alguma situação que exige tais cuidados – como agora. Por isso, devemos lembrar que, mesmo quando a nossa rotina voltar a ser da forma como era antes, você deve continuar praticando as precauções. 

Que tal disponibilizar álcool em gel nas mesas de seus colaboradores? Agora e depois que a pandemia acabar! Você também pode espalhar cartazes com alguns lembretes e reforços de higiene, como lavar as mãos e evitar contato físico!

Além de um local de trabalho limpo, é essencial que todos colaborem com a limpeza. Utensílios de cozinha compartilhada, como talheres e pratos, devem ser de responsabilidade de cada um mantê-los higienizados após seu uso. Cafeterias, lanchonetes e áreas sociais da sua empresa devem estar com o acesso restringido. 

4. Suspensões de trabalho e contratações

Com o impacto que a economia causar em nosso negócio, certamente alguns reajustes de gastos e estratégias deverão ser feitos. Ainda assim, há uma responsabilidade social quando pensamos sobre as pessoas que compõem a nossa equipe.  

Por isso, primeiro, estabeleça um panorama geral da sua empresa e identifique quais atividades são mais essenciais para esse momento. Se for necessário que alguns cargos sejam preenchidos, você pode avaliar a possibilidade de contratar um trabalho remoto. 

É importante lembrar que você deve considerar suas ações tendo em vista os aspectos legais, que podem auxiliar sua empresa neste cenário novo. 

5.Comunicação e empatia 

Essa crise ainda é muito incerta e não temos previsão de seu término. Isso pode acabar gerando ansiedade nas pessoas e em sua equipe. Uma boa comunicação com os seus colaboradores é muito importante. Você pode proporcionar, dentro dos benefícios da sua gestão, uma plataforma que cuide da saúde emocional. Saiba mais como acessando aqui. 

Além de canais de comunicação, atualizações semanais sobre o seu negócio e feedbacks para cada um da sua equipe faz com que todos estejam a par do que está acontecendo. A imagem de um líder e do CHRO devem estar presentes aos colaboradores, com espaços abertos para conversas. Saber que eles têm um apoio tanto para as suas questões profissionais quanto pessoais pode ajudar a acalmar e manter a saúde emocional nesse momento. 

Apesar de o assunto do Covid-19 estar em todas as mídias, mantenha os seus colaboradores informados a respeito das últimas notícias. Claro, tenha certeza de que o que você está compartilhando é verídico. 

6. Flexibilidade

Ser flexível em seu ambiente de trabalho faz com que os seus colaboradores sejam mais engajados, sintam-se mais confiantes e produtivos. Afinal, eles são os elementos mais importantes para que o seu negócio continue funcionando. Você sabe como pode promover isso? 

Além dos aspectos já citados, uma forma de demonstrar tudo isso, com uma inovação desse mercado de gestão de RH é oferecendo Benefícios Flexíveis aos seus colaboradores. Isso faz com que eles tenham a liberdade de escolha diante do que recebem e como querem usar os benefícios empresariais, além de entenderem sua própria identidade dentro do ambiente de trabalho. 

Descomplique a forma como os seus colaboradores recebem benefícios e saiba quais os benefícios que uma empresa pode oferecer e porque escolher a Vee.

Esse cenário de crise irá passar e tomando as devidas medidas e precauções para nós mesmos e o nosso negócio, os impactos econômicos e sociais que a pandemia poderia gerar será muito menor. Estaremos mais fortalecidos e preparados para novos desafios. E a Vee pode te ajudar!

Gostou? Compartilhe

Como a gestão e o RH podem enfrentar os desafios pós-confinamento

Tempo de leitura: 4 min
Como a gestão e o RH podem enfrentar os desafios pós-confinamento

Ainda que as empresas estejam voltando a rotina de antes, elas precisam estar preparadas para um novo normal do mundo pós Covid-19. Confira algumas dicas de experts de mercado e conselheiros Vee Benefícios para vida nas empresas pós-confinamento.

Os participantes

O time de conselheiros da Vee é composto por três grandes profissionais do mercado, cada um sendo especialista em diferentes segmentos. O Eduardo Gouveia  é expert em meios de pagamentos, loyalty e benefícios, o Marcelo Nobrega é especialista em gestão e RH e foi eleito Linkedin Top Voice pela própria rede social e o Eduardo Guerreiro é é economista e um dos principais nomes do país no segmento de benefícios e gestão.

Na live mediada pelo CEO da Vee, Raphael Machioni, eles compartilharam algumas dicas que as empresas podem experimentar e ajudá-las a enfrentar essa volta ao normal, que, na verdade, já está muito mudado. Confira o post! 

Melhores momentos da live “A melhor forma do seu negócio passar por esse momento desafiador”

Diferentes pilares essenciais para a empresa

Contando com visões de profissionais que são experientes, cada um deles compartilhou suas perspectivas sobre diferentes pilares essenciais para uma empresa. 

Eduardo Gouveia, sendo também conselheiro e investidor de outros negócios, pode ter um panorama do quanto alguns lugares foram pegos de surpresa quando o distanciamento social começou a ser aplicado e, com isso, a prática do Home Office. Muitas empresas não tinham planos de contingência, estruturas para transferir o trabalho para dentro das casas e apoios para estabelecer um cuidado com a saúde mental dos colaboradores. Para ele, esta deve ser a prioridade das empresas – as pessoas. Por isso, é importante avaliar as estruturas do seu negócio e analisar suas despesas para poder investir em aspectos importantes que impactarão nos momentos futuros, como sua equipe e relacionamento com clientes. 

Não existe uma resposta depara como será o cenário após essa crise, mas uma dica de Gouveia é desenhar possíveis ambientes e caminhos que possam ser estabelecidos a curto prazo. Além disso, pode ser um bom momento para reavaliar o seu próprio modelo de negócio. 

Marcelo Nobrega aborda de questões mais voltadas ao setor de recursos humano que está sendo o protagonista dentro das empresas. Cada vez mais a área tem assumido um papel de apoio ao líder em decisões importantes e estratégias. Confira aqui o post contando um pouco mais sobre o papel do CHRO

Neste momento de crise, Nobrega ressalta o quanto a imagem de um líder será lembrada e, por isso, suas atitudes também. Tendo isso em vista, é importante que ele saiba que faz parte não ter as respostas em relação ao que fazer e o RH deve apoiá-lo e ajudá-lo com isso. Os colaboradores também devem ser cuidados, priorizando flexibilidade em suas atividades e políticas. A pessoa deve ser focada de maneira personalizada, já que cada um está lidando com a situação de diferentes jeitos. 

Dessa mesma forma, o suporte para a volta ao trabalho presencial deve ser feito. Se, de um lado, não havia estrutura para planejar as mudanças devido a crise, agora é o momento de estabelecer o melhor tipo de suporte.Uma dica é entender as vontades de cada um, já que muitos ainda vão preferir por um tempo o Home Office devido a medos e receios, além de segurança. 

Eduardo Guerreiro enfatiza questões ligadas a cultura da empresa, que mesmo na situação de distanciamento, devem ser mantidas. O propósito do negócio deve ser sempre o foco e estar presente de maneira forte a todos. Cabe ao líder desenvolver um papel de exemplo, para ser referências aos colaboradores, preservando os principais valores da sua empresa, mostrando transparência e comunicando sobre os desafios que serão necessários enfrentar. 

Para isso, Guerreiro propõe que a união da equipe esteja bastante preservada, para que todos possam sentir que estão cumprindo o mesmo propósito e indo atrás do mesmo sonho. Dessa maneira, eles conseguirão encarar os próximos desafios que estão pela frente do novo normal. 

É um momento delicado, por isso a empresa deve tomar cuidado com decisões que possam afetar a cultura da empresa para que elas continuem tendo um crescimento sustentável na vida pós-confinamento.

O novo normal no pós-confinamento

Este cenário mostrou a mudança de consumo da população, novas maneiras de relacionares e fazerem suas atividades no trabalho. Porém, não é possível ainda saber como será o futuro dos negócios, existe muitas dúvidas e incertezas. É necessário, como pontua Gouveia, que se aposte em alguns cenários pensados a curto prazo, pensando em aprendizados que já é possível observar. Um exemplo disso é o consumo digital, que está cada vez mais alcançando todas as gerações, e novos setores estão se descobrindo nessa plataforma. 

Para o RH, essa é uma oportunidade de ter novas perspectivas em relação aos talentos que poderão ser contratados – agora pode ser mundial, com colaboradores de diferentes países. Com isso também, outros modelos de trabalho, como temporários podem ser pensados pelas empresas.

As relações devem voltar de maneira muito mais forte e mais confiantes que antes. As pessoas são as diretrizes que mostrarão como o mercado irá agir. Assim, também está sendo notável diferentes necessidades dos próprios colaboradores. Por isso, uma boa ferramenta de engajamento, que será essencial nessa volta ao novo normal, são os Benefícios Flexíveis. 

O RH precisa inovar e pensar nas necessidades dos colaboradores neste pós-confinamento, já que estes são os responsáveis pelos resultados dos negócios. A solução para isso é oferecer benefícios que estejam alinhados com cada um, de maneiras diferentes, ou seja, proporcionando a liberdade de escolha. O setor de recursos humanos precisa atender a todas as pessoas da empresa. Para isso, a conheça a solução que leva flexibilidade para te ajudar neste momento.  Vee Benefícios pode ajudar você a estruturar o melhor pacote de acordo com as necessidades da sua empresa. 

Veja a LiVEE sobre desafios pós-confinamento para empresas

Gostou? Compartilhe

Como a Vee ajuda as empresas a implementar uma política de benefícios flexíveis

Tempo de leitura: 8 min
Saiba como a Vee ajuda sua empresa a compor seu mix de benefícios flexíveis

Os gestores de Recursos Humanos tem hoje o desafio de lidar com o fator humano sob uma nova perspectiva. As pessoas deixaram de ser apenas mais um número somando forças para os resultados. Hoje, muitas empresas enxergam seus colaboradores como o principal ativo empresarial.

E essa linha de pensamento faz sentido, afinal, quem gera os lucros e fornece base para o crescimento do volume de negócios são os funcionários. E se eles não recebem da empresa o devido reconhecimento, é natural que busquem outros desafios. 

A competição nos nichos de mercado não se reduz ao market share. Empresas competem pelos melhores colaboradores, buscando formas de atrair e reter os principais talentos do mercado. E as técnicas de atração vão muito além de um bom salário. 

É cada vez mais visível a procura por benefícios empresariais. A relação entre employee experience (EX) e os resultados corporativos está cada vez mais evidente. De acordo com uma pesquisa global realizada pelo LinkedIn48% dos talentos consultados disseram que suas empresas precisam otimizar os benefícios oferecidos. 

Esse dado é bastante preocupante para as organizações que pretendem reduzir o turnover e reter seus talentos. E o cenário se completa com outra estatística importante: companhias que receberam notas máximas em relação aos benefícios oferecidos aos empregados tiveram 56% menos atritos e problemas com colaboradores.

Como os benefícios encaixam nessa história?

Pesquisas como essa salientam algo que está cada vez mais evidente no mercado de trabalho: os benefícios são ferramentas para otimizar o clima e saúde organizacional . Eles funcionam como fator de motivação e engajamento dos colaboradores e são importantes na tomada de decisão de um trabalhador em relação à sua saída ou permanência. 

Mas não se engane. Ao mencionar benefícios, a busca do trabalhador não é pelo mix básico “VR ou VA, VT e Plano de Saúde”. O modelo de benefícios flexíveis se apresenta como uma solução de maior impacto na employee experience e na retenção de talentos.

Este conteúdo tem como finalidade discutir a importância dos benefícios flexíveis e seus impactos corporativos. A análise se divide em três tópicos:

  1. A importância dos benefícios flexíveis;
  2. Sua funcionalidade para a rotina dos colaboradores;
  3. Como a Vee opera junto às empresas para compor o mix ideal de benefícios.

Na parte final, veja como a Vee se posiciona como agente viabilizador da estruturação de um modelo de benefícios flexíveis, geridos digitalmente pelos empregados e com um modelo de gerenciamento descomplicado e benéfico para as operações do setor de Recursos Humanos.

Boa leitura!

A importância dos benefícios flexíveis no contexto atual de mercado

De acordo com pesquisa feita pela Society of Human Resources Management, ao final de 2018, 34% das empresas consultadas melhoraram seus planos de benefícios. As principais razões para essas mudanças foram:

  • Retenção de empregados (72%);
  • Atração de novos talentos (58%);
  • Resposta ao feedback dos funcionários (54%).

Esse tipo de cenário indica que os benefícios se destacam como um fator essencial para a satisfação dos empregados e como isca para atrair talentos. E soma-se aqui a importância da escolha, a liberdade de uso desses benefícios, que é uma realidade construída com base em um modelo flexível.

Dar aos colaboradores a possibilidade de escolher seu pacote de benefícios amplia a satisfação e também a percepção deles perante o empregador. Isso gera impactos positivos no clima interno e na capacidade de retenção de talentos e redução de turnover.

Além disso, a adoção de um modelo de benefícios flexíveis tem impacto nos processos seletivos. Uma empresa que valoriza seus empregados e oferece aquilo que eles precisam, irá atrair a atenção do mercado de trabalho e, com isso, aumenta as chances de captar pessoas de valor e com trabalho qualificado. 

A solução para respeitar a diversidade empresarial

Aqui entra uma reflexão bastante pertinente. Por mais que a empresa tenha que zelar pela igualdade, a adoção de um modelo flexível concede liberdade de escolha e respeita a diversidade. 

Atualmente, temos três gerações distintas trabalhando em conjunto. Baby Boomers, a Geração X e os Millenials. Com uma força de trabalho tão heterogênea e com valores que, em muitos casos, são bem distintos e até mesmo conflitantes, como estabelecer uma política de benefícios fixos capaz de satisfazer a todos?

As necessidades individuais são mais respeitadas em um modelo flexível de distribuição de benefícios. Isso garante que, independentemente das escolhas de cada um, a empresa cumpre seu papel de valorização da força de trabalho e reconhecimento pela sua dedicação.

Funcionários satisfeitos, produção otimizada

Os desdobramentos da adoção de uma política de gestão de recursos humanos com foco na satisfação dos empregados vão além da captação de talentos e redução da rotatividade de funcionários.

Funcionários satisfeitos com seus salários e benefícios reconhecem a importância da empresa em suas vidas e, por consequência, executam suas demandas com foco em produtividade e melhoria de desempenho. (Veja o post sobre porque funcionários felizes são bons para a sua empresa e investidores).

Modernização e inovação em sinergia com o restante do mundo corporativo

Junto com todos esses fatores, encontra-se também a mudança da visão global sobre as relações de trabalho.

O modelo de benefícios flexíveis já é uma realidade em diversos países e está se tornando uma realidade em território brasileiro com um formato adequado às normas. 

Essas mudanças beneficiam as empresas de todos os portes e nacionalidades, mas têm impacto ainda maior nas corporações multinacionais, que podem adotar, no Brasil, as políticas estabelecidas em suas respectivas sedes. Essa sinergia de operações é fundamental para respeitar os valores empresariais.

A política da flexibilidade também transmite ao mercado a imagem de uma empresa moderna, que está em sintonia com as principais tendências corporativas.

Em suma, podemos destacar que os principais ganhos com a adoção dos benefícios flexíveis são:

  1. Melhoria da employee experience 
  2. Aumento da retenção de empregados, nos resultados corporativos e na redução do turnover;
  3. Aumento da capacidade de atração de talentos;
  4. Mudança de comportamento corporativo e aumento da percepção do valor dos benefícios;
  5. Incremento da remuneração indireta;
  6. Possibilidade de utilizar a política de benefícios para se posicionar como empresa inovadora, atenta às mudanças do mercado;

A funcionalidade dos benefícios flexíveis para a rotina dos colaboradores

No tópico anterior, foram abordados os impactos positivos que a adoção de uma política de benefícios flexíveis traz para as empresas e, por consequência, para seus funcionários.

Apesar do destaque em fatores como melhoria no clima organizacional e retenção de talentos, o que realmente pesa – na perspectiva do colaborador – é usufruir do benefício.

Quando empresas adotam benefícios fixos, só existem duas opções: abdicar de receber aqueles que não interessam (quando possível) ou recebê-los e buscar formas de utilização. Um plano fixo não leva em conta a percepção de valor e as necessidades dos colaboradores, apenas cumpre com as obrigações trabalhistas.

Um outro erro bastante comum envolve os convênios e parcerias. Muitas vezes, eles são feitos com base nos interesses de um pequeno grupo de gestores, e não com foco no que o colaborador quer ou precisa. Um bom exemplo é possuir um convênio de estacionamento para o colaborador que não tem carro.

Isso reduz os aspectos positivos da experiência do empregado e cria momentos de insatisfação, mesmo quando a empresa oferece um bom salário e uma boa infraestrutura.

Os benefícios devem ser úteis e aplicáveis à realidade da maioria dos colaboradores, por isso é tão importante pensar em benefícios flexíveis, já que agradar a todos com um plano fixo de benefícios é algo desafiador. 

Um mix completo de benefícios flexíveis entrega aos colaboradores liberdade de uso e a possibilidade de gerenciar seus benefícios da forma mais adequada. 

De acordo com dados levantados pela nossa equipe, 20% das pessoas consultadas consideram os benefícios como fator essencial para sua continuidade em uma empresa e 39% vendem parte ou todos os seus benefícios. 

Essas duas estatísticas apontam para algo preocupante: os benefícios são importantes, mas o que é entregue não está atendendo às necessidades. Por essa razão, um pacote flexível surge como a solução para dar liberdade de escolha, autonomia, satisfação e reconhecimento. 

Como a Vee Benefícios opera junto às empresas para compor o mix ideal de benefícios?

Nosso trabalho compreende a diversidade de pensamentos e necessidades das empresas e de seus colaboradores.

A flexibilidade adotada para as pessoas é princípio básico no desenvolvimento de planos para as empresas. Se elas querem dar opções aos colaboradores, parte de nós o oferecimento de opções para as empresas comporem seu mix de benefícios.

Seria incoerente permitir flexibilidade para o colaborador e não para a empresa. Por isso, temos como preceito de nossas operações:

  • O respeito à filosofia de cada organização e seus valores;
  • Oferecimento de soluções personalizadas de acordo com as necessidades mapeadas pelo setor de Recursos Humanos de nossos clientes;
  • Construção de um mix sólido de benefícios com capacidade para impactar positivamente a employee experience da empresas e seu potencial de retenção de pessoas e captação de talentos.

A Vee Benefícios se ajusta às necessidades dos clientes. Isso ocorre pois os dados de mercado apontam para uma diversificação bem grande dos pacotes de benefícios elaboradores pelas empresas de todo o Brasil.

Nossa missão é compreender quais são os benefícios ofertados atualmente e, a partir desse conhecimento, traçamos um plano estratégico com a finalidade de compreender dentro do plano flexível tudo aquilo que a instituição entende como indispensável e funcional para seus colaboradores.

A orientação de nosso modelo operacional vai ao encontro do perfil da empresa e as necessidades do gestor de RH. Os benefícios oferecidos são disponibilizados em três soluções diferentes:

  1. FlexFood, sendo relacionado a utilização do Vale Refeição e Vale Alimentação, seguindo a exigência do PAT – Programa de Alimentação do Trabalhador;
  2. Flex Utilidade, aceito em supermercados e em uma ampla gama de estabelecimentos comerciais e até mesmo aplicativos;
  3. Vee for You, que garante a possibilidade de saque, facilitando empresas que precisam fazer muitos reembolsos aos colaboradores.

Em termos administrativos, a Vee opera para facilitar o controle e gerenciamento dos benefícios. Nosso foco é em duas frentes:

  1. Qualidade da oferta ao colaborador;
  2. Praticidade da gestão interna dos benefícios.

Personalização do pacote de benefícios flexíveis para sua empresa

A orientação de trabalho da Vee respeita a individualidade das instituições e seu entendimento sobre os benefícios. Isso é essencial, ainda mais sabendo que as categorias profissionais têm regras variadas para os benefícios corporativos. 

Em princípio, oferecemos uma pool de parcerias, como redes de lojas para descontos, academias, descontos em viagens e saúde mental. A empresa tem liberdade de determinar tanto os benefícios que pretende oferecer como a forma de contratação de cada um. 

Nenhum contrato é igual ao outro. A total personalização é a nossa premissa de trabalho e foi a forma escolhida por nós para dar às empresas a solução ideal para gerenciamento e oferecimento de benefícios flexíveis.

A nossa solução é mais do que um plano de benefícios flexíveis, atuando também como uma carteira digital. Com isso, o colaborador ganha facilidade de manejo e administração dos seus benefícios, e a empresa ganha simplicidade no controle e distribuição.

É dessa forma que a Vee Benefícios atua ao lado das instituições, fornecendo facilidade gerencial e diversidade de opções. A partir do detalhamento da necessidade do cliente, partimos para a ação e desenvolvimento do mix ideal de benefícios flexíveis.

Deixe a Vee Benefícios fazer parte da transformação e modernização da sua empresa! Conheça mais sobre nossa atuação no desenvolvimento dos planos flexíveis e faça com que a sua empresa adote a mesma política de benefícios que é implementada nas empresas de destaque do Brasil e do mundo.


Permita-nos ser o agente viabilizador de mudanças importantes na sua estrutura corporativa. Clique aqui e agende uma reunião de apresentação agora mesmo!

Gostou? Compartilhe

6 fatores que influenciam o pedido de demissão e a rotatividade de funcionários na empresa

Tempo de leitura: 4 min
Rotatividade de funcionários: fatores que influenciam a saída da empresa

rotatividade de funcionários representa uma das preocupações mais recorrentes no setor de Recursos Humanos das empresas de todo o Brasil. Dados indicam que, entre 2012 e 2014, houve acentuação do turnover nas empresas brasileiras. A média nacional foi de 82% de empresas impactadas. A média mundial foi de apenas 38%, ou seja, nosso país registrou índice de rotatividade duas vezes maior que a média mundial. 

E os motivos costumam ser sempre os mesmos e se apresentam como um fator de peso na decisão do profissional:

  • Falta de valorização profissional;
  • Remuneração abaixo do valor de mercado;
  • Benefícios empresariais.

Neste artigo, vamos falar sobre a rotatividade de funcionários e os fatores mais apontados como motivos para as saídas. Aproveite para refletir sobre quais são mais recorrentes em sua empresa e descubra meios de reduzir a rotatividade. Boa leitura!

Os principais fatores da rotatividade de funcionários:

1 – Ausência de plano de carreira

Profissionais trabalham dia após dia de olho nas oportunidades de crescimento que a empresa oferece. O grande problema é que muitos não tem em mãos um plano de carreira, ou seja, um planejamento do seu crescimento corporativo. Com um plano de carreira bem estabelecido, os profissionais sabem quando, como e quais razões são definitivas para sua ascensão na hierarquia profissional. 

A ausência desse plano é angustiante para quem pretende alçar voos mais longos na carreira. Por essa razão, é comum que funcionários optem por sair de empresas que não asseguram um futuro para sua jornada como profissional. 

A elaboração de um plano consolidado de carreira, que envolva não só boas remunerações, mas também benefícios atrativos, é uma solução eficaz para otimizar a retenção de funcionários.

2 – Falta de valorização 

A falta de valorização profissional não é exclusividade das empresas que não tem um plano de carreira estruturado. Até mesmo quando há um planejamento, o profissional pode sentir-se subvalorizado por meio de atitudes dos gestores e colegas ou devido às suas funções dentro da empresa.

Ao sentir que seu trabalho é valorizado por uma proposta profissional de um concorrente (ou até de empresas de outros ramos), é evidente que o colaborador ficará tentado a sair. Portanto, uma das nossas dicas para o gestor de Recursos Humanos é realizar avaliações internas para saber como os colaboradores se sentem em relação à empresa e suas ocupações. 

Você pode aproveitar diversas ferramentas para criação de formulários de pesquisa na internet e desenvolver questionários internos para mensurar a percepção dos funcionários. Conheça algumas!

  1. Survey Monkey;
  2. Google Forms;
  3. Survio;
  4. TypeForm.

3 – Estagnação

A estagnação da carreira é um ponto delicado, pois envolve fatores relacionados à atitude e desempenho do funcionário e também pontos diretamente ligados à empresa, seus métodos de avaliação e promoção de funcionários.

Quando um funcionário percebe que sua carreira “parou” e que progredir se tornou uma realidade distante, pode ocorrer a fuga para outra empresa, na qual ele pode começar outra caminhada profissional.

4 – Clima organizacional inadequado

Uma das piores realidades que um funcionário pode vivenciar é trabalhar em um ambiente com clima pesado, onde impera a discórdia, a falta de harmonia ou a simples falta de entrosamento entre os integrantes da equipe.

O clima e a saúde organizacional são muito importantes para reduzir a rotatividade. E faz todo sentido, afinal, quem não gostaria de trocar um ambiente pesado por um mais leve e cordial?

5 – Excesso de trabalho e horas extras

Colaboradores são contratados para desempenhar funções e exercer tarefas. Contudo, quando há uma sobrecarga de trabalho os resultados costumam ser ruins para a relação entre empregado e empresa.

Trabalho excessivo significa cansaço e pressão, e, na pior das hipóteses, longas horas extras. Ninguém quer trabalhar até a exaustão, ainda mais se todo esse esforço não é reconhecido (seja pelos gestores e colegas ou seja por meio do seu salário).  Não à toa fala-se muito em saúde emocional e Síndrome de Burnout, grandes preocupações no mundo corporativo atual.

Para resolver este problema, a solução é analisar os fluxos operacionais e relacioná-los com a quantidade de pessoas em cada setor, para verificar a necessidade de contratar mais pessoas. 

E se não houver outra alternativa, é fundamental que seja estabelecido um plano de rotatividade nas horas extras e a devida remuneração delas. 

6 – Remuneração desproporcional e falta de benefícios

Profissionais que trabalham com afinco e seriedade querem receber valores proporcionais à qualidade de seus serviços e de sua dedicação. Quando há falta de equiparação entre trabalho e ganhos, é natural que o funcionário se queixe ou busque um aumento. Quando esse bônus não vem, muitos encaram como a deixa para partir para novas oportunidades.

E quando falamos em remuneração, o problema não é apenas o salário, mas também a remuneração indireta, que é feita pelos benefícios empresariais.

De acordo com pesquisas conduzidas pela nossa equipe, benefícios representam dores multilaterais, ou seja, empresa e funcionários sofrem com os modelos tradicionais. Veja só!

  • 50% das empresas consultadas afirmaram que os benefícios oferecidos não são capazes de agradar todas as gerações de funcionários;
  • 89% reconheceram que mudanças em seus planos de benefícios seriam bem-vindos;
  • 20% dos funcionários relataram que benefícios são fatores essenciais de continuidade;
  • Os benefícios ficaram no top 5 de motivos para o turnover.

Esses dados relatam que as empresas se preocupam com o tema, mas ainda não executaram as mudanças necessárias. Com isso, funcionários descontentes saem, o turnover segue alto e há a possibilidade de perder os melhores talentos para a concorrência.

Diminua a rotatividade de funcionários com benefícios flexíveis

Resumindo, as empresas precisam valorizar seus empregados, traçar planos estratégicos e oferecer benefícios capazes de agradar a todos. 

E neste ponto, não tem como não falar das soluções Vee, criadas para entregar às empresas o melhor mix de benefícios personalizado e uma forma de gerenciamento simples e prático, tanto para o gestor de RH quanto para os colaboradores.


Quer saber mais sobre a Vee e nossas preocupações com o universo corporativo? Então visite nosso blog e saiba mais sobre rotatividade de funcionários, benefícios flexíveis e atração e retenção de talentos!

Gostou? Compartilhe

Por que a Vee é sua melhor opção quando falamos de benefícios flexíveis?

Tempo de leitura: 4 min
A  Vee é sua melhor opção quando falamos de benefícios flexíveis?

A gestão de pessoas é um grande desafio corporativo. Empresas preocupadas com seu desempenho sabem que os colaboradores representam um importante ativo no negócio, eles são o motor que geram os resultados.  Por essa razão, as instituições buscam formas de gratificar seus funcionários, e isso é feito ao oferecer um salário condizente com o mercado e benefícios empresariais de qualidade. Daí surgem os benefícios flexíveis.

A grande questão é que quando os benefícios não são bem aproveitados pelas pessoas, aquilo que deveria ser uma solução se torna um problema. Para evitar este cenário, cabe ao gestor de Recursos Humanos buscar parcerias e firmar contratos para que seja possível oferecer à base de trabalhadores um mix de benefícios flexíveis atrativos e efetivamente úteis. 

No post de hoje, vamos apresentar a importância de flexibilizar os benefícios e por que a Vee se apresenta como a melhor opção para sua empresa!

Como a Vee Benefícios age para ser a solução ideal em termos de benefícios flexíveis

Tudo começa com a nossa forma de pensar sobre os benefícios empresariais. Sabemos da sua importância, tanto para o colaborador quanto para o negócio. Mais do que apenas um “pagamento” pelos serviços prestados, os benefícios são um fator estratégico para atração e retenção. 

Diante disso, a Vee Benefícios atua em aspectos-chave essenciais para ampliar o valor percebido pelos colaboradores em relação aos benefícios. Veja quais são eles a seguir!

Poder de escolha

O primeiro ponto age diretamente na percepção de valor dos funcionários sobre os benefícios oferecidos. A Vee é uma solução de benefícios que dá ao colaborador total liberdade de escolha sobre a forma de uso do seu saldo. Além disso, traz mais flexibilidade para o gestor de Recursos Humanos.

Isso gera um impacto positivo na percepção sobre os benefícios corporativos. O funcionário é empoderado, usa seu saldo como quer e percebe que a empresa está preocupada em oferecer subsídios para que ele usufrua de seus benefícios da maneira que achar melhor.

Flexibilidade de uso

O mix de benefícios garante poder de escolha e também a possibilidade de flexibilizar o uso de acordo com as necessidades.

Vamos ao exemplo da alimentação. A flexibilidade permite que o funcionário utilize seu benefício em restaurantes ou no mercado, dando fim à imposição de uma escolha “fixa” entre Vale Alimentação e Vale Refeição.

Com isso, o colaborador determina a melhor forma de consumir seu saldo, utilizando-o de acordo com a necessidade do momento, e sabendo que, caso a de hoje seja diferente amanhã, seus benefícios continuam sendo funcionais e úteis para sua rotina. 

Benefícios para o setor de Recursos Humanos

Os impactos da adoção do modelo de benefícios flexíveis da Vee não se restringe aos colaboradores. A rotina de trabalho dos profissionais do setor de Recursos Humanos também sofrem mudanças positivas.

O primeiro aspecto tem relação com o gerenciamento. A adoção da carteira de benefícios flex gera economia de tempo e praticidade para o RH gerenciar os benefícios e saldos de cada colaborador.

O modelo flexível também auxilia na conciliação dos interesses dos colaboradores com a visão da empresa. Com mais opções em mãos, há mais probabilidade de encontrar um denominador comum em relação aos benefícios, respeitando os interesses corporativos, a legislação trabalhista e as necessidades dos colaboradores. 

E não podemos deixar de falar do poder de atração e retenção de talentos. Um bom mix de benefícios é convidativo para os colaboradores, e vai ter um peso significativo na sua tomada de decisão no momento de escolher onde trabalhar ou procurar um novo local de trabalho.

Checklist rápido: Como adotar um modelo de benefícios flexíveis?

Agora, vamos a um passo a passo para que você compreenda como a Vee Benefícios se posiciona para solucionar as dores da sua empresa em relação aos benefícios oferecidos aos colaboradores:

  1. O primeiro ponto é analisar o modelo de benefícios adotado atualmente e qual modelo é aplicado;
  2. Em seguida, o gestor de RH pode mapear os desejos dos colaboradores e as expectativas deles em relação aos benefícios empresariais;
  3. Com isso em mãos, a equipe da Vee Benefícios analisa o perfil empresarial, as necessidades corporativas e o budget alocado para benefícios corporativos;
  4. Isso servirá de base para nossa proposta. Nela estará contido nosso plano ideal de benefícios flexíveis de acordo com as características da empresa;
  5. Fechada a proposta, a empresa dá início à adoção do modelo de benefícios flexíveis, e os efeitos de sua aplicação já são sentidos logo no primeiro mês (tanto para o gestor de RH quanto para os colaboradores);
  6. Ao longo do tempo, o setor de Recursos Humanos pode analisar o modelo adotado e efetuar, junto à nossa equipe, as adequações. Assim, o mix de benefícios é totalmente alinhado com as necessidades da empresa.

Para entender mais sobre o nosso processo de análise das necessidades empresariais, elaboração do mix de benefícios e estruturação do plano ideal para sua empresa, entre em contato com nossos representantes.  Agende uma reunião com a equipe de atendimento agora mesmo!

Venha conhecer a Vee e descubra como nos posicionamos para gerar impactos positivos na gestão dos benefícios corporativos!

Gostou? Compartilhe

Como alinhar gestões de desempenho e gestão de benefícios

Tempo de leitura: 3 min
Gestão de benefícios x gestão de desempenho: como alinhar as duas atividades

Sabe qual é o segredo das empresas que conseguem manter sua produtividade lá no alto e que ainda conseguem se destacar como lugares de excelência para trabalhar?  Parte do sucesso delas é diretamente relacionada com o acompanhamento dos resultados (gestão de desempenho) da produtividade e do ambiente interno, impulsionado também pelos benefícios oferecidos.

Quando gestores fazem um acompanhamento constante do desempenho, as chances de obter bons resultados e criar um ambiente de trabalho positivo e producente são muito mais amplas. 

De acordo com uma análise do cenário empresarial brasileiro, parte do planejamento das empresas é focada em metas, mas peca na gestão holística e foco no engajamento. Entre as empresas entrevistadas, 90% faz gerenciamento das metas, mas 25% não faz avaliações de desempenho. 

A gestão de desempenho segue exatamente uma lógica de análise, correção e melhoria. Isso significa criar um ambiente positivo para que os colaboradores aumentem suas capacidades intelectuais e produtivas, avaliando sua performance.

Neste modelo, o gestor de Recursos Humanos atua de forma estratégica acompanhando o desenvolvimento das pessoas, monitorando a evolução dos resultados e de olho nas métricas de desempenho da empresa. 

O objetivo é transformar toda a situação em aprendizado, fazendo com que o ambiente de trabalho seja propício para o desenvolvimento de cada um. A grande questão é: como motivar os colaboradores e engaja-los nessa metodologia? 

Parte da resposta está na execução de uma boa gestão de benefícios. Se você quer entender melhor essa lógica, então acompanhe o post!

Como a gestão de benefícios se alinha à gestão de desempenho?

Pessoas têm diferentes anseios, necessidades, expectativas e opiniões. A empresa que faz um bom gerenciamento do clima interno e se preocupa com a experiência de seus empregados possibilita um ambiente propício para o engajamento, redução da rotatividade de empregados e retenção de talentos. 

Como agir para atingir um patamar elevado de engajamento e felicidade interna?

Bom, a resposta completa é um conjunto de fatores, sendo a remuneração indireta um dos mais importantes. Os colaboradores querem mais que um bom ambiente e boas condições de trabalho. Dinheiro no bolso e benefícios de qualidade são, sem dúvida, argumentos de peso.

Por essa razão, a gestão de benefícios está se tornando um assunto em evidência. O setor de Recursos Humanos das melhores empresas do Brasil e do mundo estão adotando uma política de mais flexibilidade na escolha dos benefícios corporativos.

Uma nova realidade em benefícios para sua empresa

O modelo mais completo são as soluções digitais para gerenciamento de benefícios flexíveis, como a Vee. Elas funcionam como um ambiente digital de gerenciamento dos valores dos benefícios do colaborador, no qual ele pode usar seu saldo da maneira mais adequada.

Isso significa o fim dos benefícios vendidos, mal utilizados e que se tornam recorrentes queixas no setor de RH da empresa. 

Nós sabemos que é muito difícil criar e gerenciar um mix de benefícios que consiga agradar a todos os colaboradores, ainda mais em um momento em que há tantas gerações de pessoas trabalhando ao mesmo tempo dentro das mesmas instituições.

A experiência que a Vee Benefícios proporciona aos seus clientes é baseada na customização ampla dos planos, entregando soluções como:

  • Descontos em compras e mensalidades de planos de academia;
  • Consultas com psicólogos e coaches;
  • Saldo flexível para melhor uso dos benefícios
  • Manejo dos benefícios de alimentação e refeição sem complicações

Como os benefícios atuam sobre a produtividade?

A praticidade beneficia o funcionário, que sente-se empoderado sobre o uso de seus benefícios e valorizado pela empresa. E o resultado de um funcionário que se sente valorizado é mais entrega, engajamento e menos chances de saída.

Planos de benefícios bem construídos atuam como fator determinante na retenção de funcionários, redução do turnover e impulsão da felicidade interna e produtividade. E é exatamente neste ponto que a gestão dos benefícios se encontra com a gestão do desempenho.

A empresa que busca construir um ambiente produtivo, onde todos evoluem constantemente e atingem crescimento individual e de resultados, precisa dar subsídios para gerar esse ecossistema equilibrado. 

E os benefícios são parte importante na busca por esse equilíbrio. A Vee Benefícios atua com seus clientes na compreensão das principais necessidades dos colaboradores e no desenvolvimento de planos de benefícios flexíveis personalizados à realidade da empresa.

Entre em contato com a nossa equipe e descubra de uma vez por todas como um plano de benefícios flexíveis pode potencializar fatores como:

  1. Felicidade interna;
  2. Produtividade;
  3. Retenção;
  4. Engajamento;
  5. Employer branding;
  6. Employee experience.


Preparado para uma nova realidade em benefícios corporativos? Então fale direto com a nossa equipe de atendimento para agendar sua reunião!

Gostou? Compartilhe

Flexibilidade e saúde emocional: combinação pode impulsionar a gestão

Tempo de leitura: 3 min
A importância da saúde emocional dentro das empresas

O cenário de pandemia causado pela emergência da COVID-19 em todo o mundo ainda é de difícil adaptação. Tendo em vista uma sociedade voltada a estar o tempo todo ativa e em constante movimento todos os dias, de repente, mudar os hábitos para dentro de casa e praticar o Home Office  pode ter bastante impacto e ser conflituoso para nós mesmos. 

Afinal, temos que lidar com um cenário totalmente novo e repleto de incertezas em relação ao futuro, o que pode gerar bastante angústia. Além disso, nossas relações estão mudando: enquanto alguns se sentem extremamente solitários, outros sentem que o contato (mesmo que online) com amigos e familiares esteja maior e até, quem sabe, mais fortalecido. Mas há o lado de quem precisa aprender a conviver no mesmo ambiente, o dia todo, com o outro. E conviver com si próprio. Então, como anda a sua saúde emocional? 

Mais tempo para você!

Apesar do conceito de saúde emocional estar muito ligado a sentimentos, ele também está relacionado a tudo que está presente no nosso dia a dia. Isso pode ser tanto nas nossas relações (por exemplo, em não saber controlar o que dizemos ou cometer exageros), quanto em não saber quais são nossas reais ambições e desejos. Para isso, se entender é importante para conquistar uma boa comunicação com todos à sua volta de maneira saudável, assim como para controlar suas emoções. 

Nesses tempos, com mais tempo para você, o CEO e co-founder do Zenklub, Rui Brandão, aconselha a tentar fazer e aprender coisas novas, aprender novas línguas, cozinhar e conhecer coisas diferentes. Além disso, é um bom período também para conhecer se conhecer melhor, para melhorar como pessoa. O aplicativo do Zenklub possui diferentes tipos de plano para que você possa conversar com diferentes especialistas, como psicólogos, psiquiatras, coaching, entre muitos outros. 

Como cuidar da saúde emocional em tempos de confinamento e Home Office

Dê o seu primeiro passo para cuidar de si e criar novos hábitos!

ZenKlub

Você já ouviu falar no ZenklubVisando a necessidade de uma ferramenta que cuidasse de um aspecto essencial na vida das pessoas, especialistas como o Rui criaram uma plataforma de saúde emocional online: o ZenKlub. Cuidar da saúde emocional está ligado ao seu bem-estar, propósito, processo de autoconhecimento, foco, enfim, diversas questões. O Zenklub veio pra te ajudar a se desenvolver melhor pessoal e profesionalmente. Ele foi feio para sua evolução emocional. 

Em um momento como esse, o ZenKlub e a Vee perceberam a necessidade de falar sobre o assunto. As buscas pela plataforma aumentaram em 100% nesses tempos. Por isso, o CEO da Vee, Raphael Machioni e o CEO e Co-founder do ZenKlub, Rui Brandão, uniram-se em uma live para falar de um tema tão relevante para o contexto em que estamos. Na live, os CEOs discutiram sobre a importância da saúde emocional, deram dicas de como cuidar melhor da sua e contaram por que é tão importante que RHs de empresas se preocupem em considerar melhor a saúde emocional entre suas equipes! Você pode acessar o conteúdo da live na íntegra aqui.

E o que Benefícios Flexíveis têm a ver com o Zenklub e saúde emocional? 

Com trabalho remoto, reuniões à distância e conferência com amigos, percebemos que existem muitas possibilidades de continuarmos nossas atividades e programas rotineiros de forma online. Com a saúde mental não é diferente. 

O ZenKlub está entrando empresas como um benefício, no qual qualquer colaborador da empresa pode ter acesso à plataforma. Você pode acessar vários conteúdos sobre saúde emocional, coaching e outros assuntos relacionados, ou pode escolher entre vários profissionais especializados para contratar diversos planos de sessões com eles, que podem ser feitas por vídeo, telefone ou chat. Você pode também ouvir os podcasts sobre o assunto, produzidos pelo próprio Zenklub, e interagir com outros conteúdos. 

Para o RH, poder proporcionar isso ao colaborador é muito importante, pois a saúde mental interfere em todas as questões da vida, inclusive na profissional. Saiba como oferecer Benefícios Flexíveis e quais são os melhores que sua empresa pode oferecer. 

Venha ser Vee
Gostou? Compartilhe

Benefícios e Home Office: a melhor maneira de lidar

Tempo de leitura: 3 min
Benefícios e Home Office: a melhor maneira de lidar

Saiba o que as empresas devem continuar pagando aos colaboradores, como Vale-refeição/alimentação, Vale-transporte e outros benefíciosNosso local de trabalho é outro e ninguém sabe ao certo quando o nosso dia a dia voltará a ser como era há apenas algumas semanas e acredita-se que muitos aspectos irão mudar. Mas, enquanto isso, estamos nos adaptando para que nossas demandas do trabalho e da vida possam ser realocadas em um único ambiente: nossa casa. Saiba como você pode ser mais eficiente trabalhando remotamente. E as empresas, como podem ajudar seus colaboradores a manejar isso? Preparamos abaixo algumas informações para o RH se preparar e organizar a política de benefícios da empresa. Conheça abaixo:

Vale-transporte e benefícios de mobilidade, preciso continuar pagando?

Como na maioria das vezes a resposta é depende. Caso seus colaboradores não tenham a necessidade de se locomover até o local de trabalho, a legislação permite que a empresa opte por não oferecer o vale-transporte e/ou benefícios para locomoção.Visto que os colaboradores não estão utilizando nenhum meio de locomoção, as empresas não precisam continuar pagando Vale-transporte. 

Entretanto, caso seja necessário que o colaborador se desloque para o local de trabalho, a empresa fica responsável pelo custo proporcional. 

Vale- Alimentação/ Vale-Refeição, continua sendo obrigatório no home office?

Novamente a resposta é depende. O artigo 6° da CLT, não há distinção entre o trabalho na empresa e o remoto. Por isso, se os colaboradores continuam tendo a mesma carga horária que antes, com horário de almoço, portanto, o benefício para o Vale-refeição e o Vale-alimentação deve continuar valendo. 

Entretanto, caso não haja nenhuma restrição no acordo coletivo, a companhia pode optar por não pagar. Porém, deixamos um adendo que esse acordo deve ser previsto em convenções coletivas. 

Estrutura em casa, a empresa deve bancar a estrutura?

Para que o colaborador consiga realizar seu trabalho dentro de seu lar, é preciso que ele tenha acesso às mesmas estruturas que antes na empresa. Por exemplo: notebook, celular, internet, entre outros. Dependerá das atividades de cada local. 

Portanto, neste tópico, é de responsabilidade da empresa esse custo, como prevê o artigo da CLT 75- D.  Aqui também ressaltamos que esta despesa não pode ser descontada de remunerações ou benefícios dos colaboradores. 

Caso a empresa não possa arcar com a estrutura para que o colaborador possa desenvolver o seu trabalho remotamente, o tempo correspondente da jornada de trabalho deve continuar sendo computado, independente de estar exercendo suas atividades ou não, já que é dever da empresa fornecer tais equipamentos. (artigo 4º, § 4º, II). 

Energia e internet também entram na regra de estrutura? 

Diante da legislação trabalhista, o fato do colaborador estar realizando o teletrabalho não origina, por si só, o dever da empresa de suprir estes gastos de energia, internet, entre outros. Isso porque são despesas difíceis de serem comprovadas ou rastreadas, já que o ambiente também é de utilização pessoal, de sua própria habitação. 

Outros benefícios, quais as regras? 

Se a sua empresa oferece outros tipos de benefício, tais como auxílio-creche, auxílio-cultura, entre outros, é válido um acordo interno individual para estabelecer o que deve ser feito. Este deve ser feito por escrito. (MP 927/2020)

Benefícios Flexíveis são a melhor solução no Home Office!

Você sabe o que são?  É uma nova forma de oferecer um pacote de benefícios aos seus colaboradores, mas, como o próprio nome já diz, de forma flexível. Ou seja, você pode dar a ele a liberdade de escolha de como deseja usar os benefícios oferecidos pela empresa. Veja o texto que explica mais sobre eles. 

Em um momento como esse, as empresas que já possuem os Benefícios Flexíveis não precisam se preocupar com o que será alterado. Por ser um critério do próprio colaborador decidir a maneira com irão usar seus benefícios, o RH deverá apenas estar atento à parte de investimentos que talvez tenham que ser implementados para que o Home Office funcione, como apontado anteriormente.  

Saiba como você pode oferecer Benefícios Flexíveis aos seus colaboradoresquais são os melhores de serem proporcionados

Esse cenário inédito e incerto têm levantado diversas dúvidas sobre situações que ainda não eram necessárias de exercer em nosso dia a dia. Porém, é uma fase também de aprendizados para momentos futuros, os quais estaremos mais preparados. A China, que já passou pela mesma situação que o Brasil, pode ajudar com algumas questões relacionadas a gestão remota. Veja aqui

Para você que ainda tem dúvidas em como lidar com questões de aspectos legais na sua empresa, confira o último post que fizemos!

Gostou? Compartilhe

RH Talks – Transformação Digital para o seu negócio e a sua carreira

Tempo de leitura: 7 min
O RH Talks é um dos maiores eventos digitais voltados para o mercado de recursos humanos

A Vee participou do RH Talks, um evento totalmente online e digital do Transformação Digital que se propôs a discutir as mudanças e o panorama do RH do futuro. Ele reuniu grandes profissionais para falar de assuntos de extrema relevância, principalmente as que estão preocupadas em como desenvolver melhor suas gestões.

Além disso, foram apresentadas inovações de negócio e dicas para evoluir na sua carreira. Com o contexto atua, em tempos de pandemia, com muitas empresas preocupadas com a situação de seus colaboradores e de sua economia, os profissionais também conseguiram fornecer dicas de como aproveitar o momento para lidar com tudo da melhor maneira. 

Todas as palestras contaram com a mediadora Jéssica Martins. Ela é psicóloga especializada no setor organizacional e líder do RH Summit, o maior evento de RH do Brasil. 

Raphael Machinoni, nosso CEO aqui na Vee, também participou do RH Talks para falar de gestão de Benefícios Flexíveis. Fizemos um post sobre esse dia, você pode conferir aqui. Para você que não conseguiu assistir a todos os eventos ou mesmo para você que acompanhou, preparamos um conteúdo muito bacana reunindo os principais tópicos de cada um dos dias!

O que rolou nas palestras do RH Talks

Veja só o melhor do RH Talks:  

Dia 23/03 – História do RH e Desafios do Mercado Digital

Daniela Diniz e Mônica Hauck, as duas palestrantes do dia, contaram sobre o papel de destaque que o profissional de recursos humanos tem desenvolvido dentro das empresas e deve continuar investindo.  O momento atual em que estamos cria uma boa oportunidade do RH tornar-se o protagonista, incentivando o negócio e as pessoas nas adversidades, visando perspectivas a longo prazo.

O RH deve ter habilidades com dados, números e estar atento aos fatos e incertezas que acontecessem dentro de uma empresa. Por isso, inseri-lo na tomada de decisões pode ser uma conduta interessante e estratégica para seu negócio. 

Ao conhecer e entender perfis, diversidades e talentos de seus colaboradores, o RH pode servir como um instrumento importante: criar desafios para o desenvolvimento das pessoas e estimular o papel da liderança. Além disso, eles também podem servir como ponto de apoio. Com uma visão ampla, eles podem ajudar na recuperação do seu negócio. 

 O RH também consegue visualizar quais são as necessidades coletivas e individuais, podendo assim preocupar-se com e solucionar diferentes questões dos colaboradores. Por isso, essa é uma área que precisa sair de sua zona de conforto, demonstrar sua relevância para a gestão dos colaboradores e para o negócio crescer. 

Olha só quais são os pontos indicados para os profissionais de RH focarem: cultura das empresasemployer branding, avanço com o pensamento estratégico e evolução do mercado. 

Dia 24/03 – O novo papel do Business Partner

Laura Widal foi quem apresentou no RH Ralks diversos ensinamentos sobre o papel do Business Partner (BP). Você sabe o que esse cargo faz? Basicamente, sua função é ser o elo entre um negócio e a área que será atendida (seja ela o RH ou não). 

Para tornar-se um BP, há três grandes pilares importantes a serem desenvolvidos:

  1. Negócios: ter uma visão sistêmica de como a indústria opera no mercado, quem são os concorrentes e quais são as oportunidades e ameaças da empresa
  2. Pessoas: ter conhecimento de RH, cultura de empresa e talentos; 3. Compreender quais são os desafios da área que será atendida.

Assim, um Business Partner poderá articular soluções entre a área do RH com o próprio cliente. 

Há dois papéis diferentes que podem ser adotados pelo profissional: mais estratégico ou mais operacional. Logo, isso também irá refletir em suas ações: conflituosas ou de negociação. 

Seu trabalho não é mensurado apenas por números,mas em grande parte por métodos qualitativos de sua consultoria e influência. O principal é melhorar o resultado da área atendida. Por  isso, o BP é um cargo estratégico dentro dos departamento de RHs e pode construir soluções junto com os colaboradores. Dessa forma, poderá apresentar transformações dentro da empresa. 

Não é necessário ser psicólogo para tornar-se um Business Partner, mas é importante ter as seguintes competências: ser empreendedor (tudo sob o olhar de oportunidades), desenvolver bom relacionamento interpessoal e ter habilidade para se impor e se posicionar. Assim, ter o poder de convencer chefes e gestores das mudanças que julgar ser necessárias. 

Por fim, ele também é um complemento e parceiro do líder de uma empresa, auxiliando e dando apoio em consultorias e feedbacks

Dia 25/03 – Nova abordagem do RH na área de benefícios 

Raphael Machioni, o CEO da Vee, também marcou presença no RH Talks e contou sobre uma nova solução de mercado para o RH oferecer benefícios aos seus colaboradores. Em uma empresa que visa diversidade, com diferentes pessoas, gêneros, idades, preferências, fica difícil proporcionar algo que seja do agrado de todos, já que cada um tem suas próprias necessidades. Por isso, existem os Benefícios Flexíveis

Com eles, o colaborador tem a liberdade e autonomia de decidir como vai utilizar seu benefício. No exemplo do contexto atual em que estamos, com nossa rotina alterada, é muito mais vantajoso poder escolher o que faz mais sentido usar. VR ou VA? Você pode ter os dois para usar como quiser! Assim como outros benefícios, que a sua gestão pode oferecer, como descontos em academias, saúde mental, pacote em viagens, entre muitos outros. É o momento do RH sair do tradicional e começar a pensar fora da caixinha.

Oferecer Benefícios Flexíveis também é uma forma de atrair talentos para a sua empresa, já que é uma maneira de demonstrar que cada uma dentro do seu negócio tem suas própria identidade. Além disso, eles também retém os talentos, pois fazem com que seus colaboradores sejam mais engajados, motivados e felizes com o trabalho. 

Dia 26/03 – Felicidade no trabalho

Durante o RH Talks, Marcelo Gato abordou um assunto que provavelmente seja uma das mais constantes buscas do ser humano: felicidade. Porém, você sabia que ela pode ser um exercício diário para que você a desenvolva com condicionamentos e pensamentos? 

Antes, o que precisamos entender: Se felicidade é um estado de espírito, devemos saber que não podemos estar felizes o tempo todo, assim como todos os outros sentimentos que tempos, já que cada um tem seu espaço e momento.  A felicidade no trabalho foi, durante muito tempo, relacionada a algo negativo. Antigamente, o foco de emprego estava no dinheiro e em competições. 

Hoje, a realidade é outra. Na busca de propósito e ao sentir que estamos fazendo nossa missão no dia a dia, estamos em níveis de felicidade mais altos. Como consequência disso, seu engajamento na empresa e em suas atividades também aumentam

Existem dois pesos que contam na hora de somar o seu saldo do ambiente de trabalho: o que você pratica dentro da empresa e o que ela proporciona a você. Um precisa do outro. Por isso, o RH pode ter um papel importante ao oferecer benefícios aos colaboradores. Mas, claro, não cabe a ele dar tudo, já que também depende de nós a construção da felicidade. 

E como fazemos isso? Vejas os aspectos que o palestrante pontuou que elevam o nível de felicidade: 

  • Poder ter sua própria identidade dentro da empresa.  Um exemplo disso são empresas que não exigem o dress code
  • Desenvolver e inserir suas habilidades em seu dia a dia. Às vezes elas podem até nem estar relacionados ao cargo que você exerce. 
  • Ter engajamento, comprar o propósito da empresa.
  • Ter resiliência e gentileza. Empatia por todos, com espírito de coletividade, ajudando os outros. 

Além disso, essas também são habilidades que um profissional deve ter para inserir dentro de seu local de trabalho, a fim de ajuda a proporcionar o mesmo aos seus colaboradores. 

Dia 27/03 – Habilidades fundamentais e Plano de carreira 

Ariella Barros e Salim Khouri falaram no RH Talks sobre elementos importantes para a vida profissional e compartilharam diversas dicas para a sua carreira. 

A área de maior destaque no evento, o RH, deve sempre estar atenta às mudanças, pois elas são constantes. Temos transformações em diferentes contextos e, com isso, as estratégias de um negócio também se alteram, assim como o próprio profissional, que deve sempre estar se reinventando. Por isso, a imagem que de transparência e confiança devem estar consolidados ao RH. 

Olha só algumas das tendências de competência dessa área que foram apresentadas: 

E é o RH que vai ser a primeira porta de entrada para quem está ingressando em um novo ambiente de trabalho. Por isso,  aos candidatos, é essencial o autoconhecimento. Mais do que um currículo com diversas graduações, para conseguir se destacar, é importante ter diferentes experiências. E é preciso saber demonstrar a sua importância de forma relevantes, pois isso também consolida na sua postura e comportamento dentro de uma empresa. 

Para pensar no seu plano de carreira, você precisa estabelecer quais são os seus focos. Assim, você terá uma visão melhor de quais cursos deve investir. Além disso, habilidades comportamentais também são aspectos que devem ser levados em conta ao imaginar-se em determinada área, até porque, no mundo em que vivemos hoje, devemos estar preparados para transitar em diferentes carreiras. Seja curioso, pergunte e vá atrás do que você busca! 

Por fim, você sabia que o Linkedin é a maior rede de empregabilidade? Por isso, os palestrantes passaram algumas dicas que você deve implementar e investir no seu perfil: construa sua imagem profissional, conecte-se, fale sobre você no espaço da sua conta, coloque palavras-chaves e estratégicas e comece a gerar conteúdo com constância para tornar-se relevante. 

Espero que você tenha gostado do conteúdo! Para saber mais sobre as tendências  e novidades de RH, acompanhe o blog da Vee, que está cheio de assuntos e temas super importantes para você ficar de olho. 

Gostou? Compartilhe